random songs

\ZINE\

Cia Fantasma exorciza morte em novas músicas

regis_martins_cia_fantasma_cor2_16x9

Depois de quase três anos e um disco novo do Motormama no meio do caminho, Régis Martins retorna com seu projeto solo com duas músicas novas. Régis Martins & Cia Fantasma reúne 3/5 do Motormama, banda original do guitarrista e vocalista. Na foto acima, Alessandro Perê (tecladista), Régis (guitarrista e vocalista) e Gizele Z. (vocalista).

O clima de gravação caseira se encaixa na proposta garageira e urgente do Cia Fantasma. “É até uma resposta aos excessos psicodélicos do Motormama. Queria que fosse algo quase que ao vivo, como Neil Young fazia no galpão de sua fazenda, a Broken Arrow. Existem alguns erros ali que decidimos deixar, sem editar, refazer ou maquiar“, confessa Régis.

Escrevi essas músicas no segundo semestre de 2017. ‘Bem-Vindo, Irmão Caveira’ veio antes, com alguns versos martelando a minha cabeça. Nos últimos anos morreu muita gente que eu conhecia ou admirava. Era o Irmão Caveira cumprindo sua função. Essa canção é uma resposta a esse sujeito que não larga o nosso pé. Acho que Marc Bolan foi uma influência ao escrevê-la“.

A outra música é “Sacramento!”, uma tentativa de blues com bateria eletrônica.”Tem um lance meio tecno pop escondido ali que me amarro muito“, confunde Régis. As novas músicas foram gravadas no Antro Home Studio que fica no quarto da casa do amigo e produtor Flavio ‘Porka’ Politi, em Ribeirão Preto (SP).

Para comemorar o exorcismo, Régis Martins & Cia Fantasma tocam neste sábado,17/fev, em SP, na Sensorial. Mais informações aqui.

Escute “Bem Vindo Irmão Caveira” aqui no mmrecords
Compre e ouça também no Bandcamp

Postado 16/02/2018 às 17:00

Deu match no pop: Gambitos de volta

gambitos-(2)4x3
Fabio Bianchini
é um daqueles caras que a gente colocaria no quadro de funcionário do mês. O único porém é que ele não é muito constante: a última vez que figurou no quadro foi em 2009, quando lançou de uma vez só dois EPs: “Salami” e “Easy Living Candy Store“.

O Bianchini é indie pioneiro, bandeirante, daquela geração que em 1990poucos frequentava a Indie Brasil, gostava de BMX Bandits e Yo La Tengo, lia fanzine. O “emprego” dele aqui no midsummer madness começou em 1996, com o lançamento da fitinha “Baby, Baby”, do Superbug. O outro lançamento via midsummer madness só foi acontecer em 2003, com o CDR “Hot Milk”.

Então, quando o Bianchini mandou email em 2008 (ou 2009) avisando que tinha músicas novas, a gente logo achou que era coisa do Superbug. Não era. Foi ai que ficamos conhecendo Os Gambitos.

O Superbug tem uma dinâmica bem particular: têm que ter consenso, sem forçar o ritmo de ninguém. É algo que gosto muito na banda e que traz várias das recompensas que ela me dá. Por outro lado, à medida que o pessoal envelhece e tem mais e mais compromisso, a disponibilidade fica mais difícil e o processo invariavelmente demorado. Aí, Gambitos tem duas possibilidades: a) as músicas que não entraram no repertório do Superbug por um ou outro motivo; b) estou na fissura de lançar alguma coisa, tirar alguma coisa do meu sistema ou ter aquela sensação de finalizar algo logo. Nesse caso, foi o siricotico da opção b”. 

O siricotico da vez são 2 músicas novas, que serão lançadas separadamente, mas que podem vir a configurar um EP: “Ghosts”, que vai ser lançada na quarta feira de cinzas, e “Pop Songs Your Tinder Match Is Too Stupid to Know About”, que está saindo hoje via mmrecords, bandcamp, soundcloud e YouTube. Para pessoas com mania de organização, porque ele não lançou tudo junto, igual aos EPs anteriores? “É que eu tinha duas fotos de capa legais pra usar e me dava a impressão de que nenhuma delas combinava com as duas músicas“, explica.

“Pop Songs Your Tinder Match Is Too Stupid to Know About” traduz para “Músicas Pop que seu Match do Tinder é Muito Estúpido para Conhecer”. Se você lê a letra (aqui e aqui) vai se divertindo com as inúmeras citações de bandas e trechos de clássicos do chamado indie rock. Tem Wilco, Jesus & Mary Chain, Alvvays, Teenage Fanclub, Pastels… mas o mais legal (e truzêra) são as lembranças das bandas nacionais: Deep Noise, Wry, Cigarettes, The Concept, Minds Away, Magic Glow, Weed (pré-Astromato), Frabin, Pelvs, Low Dream, Sleepwalkers e Grenade.

A letra fala de um match do tinder que não dividia a mesma empolgação com as bandas acima. Após tentar dar uma chance ao match, nosso(a) ilustre indie-tru desiste depois de perceber que o(a) match nunca ouviu falar do Pastels. Apesar do tinder mostrar o perfil musical do pretendente a match, quem sonharia encontrar um match tão perfeito? Bianchini revela: “Conheci uma mulher que me disse ‘tá, chega desse papo furado de onde mora, onde trabalha e vamos falar desse Neutral Milk Hotel maravilhoso’. Então tudo pode acontecer. Mas vou ficar bem surpreso se rolar”. 

“Pop Songs…” foi composta por Bianchini, com ajuda de André Seben (guitarra), Cicero Bordignon (bateria) e Jean Gengagnel (pedal); produzida por Bianchini e os dois últimos, gravada, mixada e masterizada no Estúdio Urbano, em Florianópolis.

Escute na página do Gambitos aqui no mmrecords, ou no bandcamp do midsummer madness. A música estará nos serviços de streaming depois do carnaval de 2018.

Postado 23/01/2018 às 7:13

Cassim lança novo projeto: DON

Cassiano Fagundes, aka Cassim, participou da criação de várias bandas desde os anos 90 em Curitiba com Magog e Bad Folks, depois em Florianópolis com Cassim & Barbária (que incluia integrantes do Pipodélica e Ambervisions) e Cacique Revenge.

Agora, junto com o argentino Jeronimo Gonzalez e o brasileiro Manolo Keller, também ex-integrante do Barbária, Cassiano lança 3 novas músicas num projeto chamado DON. O primeiro EP traz 2 músicas novas e uma versão para 13th Floor Elevators.

“Gene”, o EP, está sendo lançado somente no formato digital aqui no mmrecords, no bandcamp e nos serviços de streaming. Uma das faixas, “The Empty Heart of TAO”  tem um webclipe produzido:

 

 

Postado 15/01/2018 às 5:43

Matéria lembra os 20 anos dos primeiros CDs do midsummer madness

Pelvs-1998-O-Globo-Algumas-Pessoas
O 2º disco da PELVs  (Members to Sunna) e o 1º do Cigarettes (Bingo) completaram 20 anos em 2017. A foto acima é a imagem de divulgação da Pelvs na época do lançamento, já sem Marcos Rayol (que era 2º guitarrista e passou a masterizar os discos) tirada na praia de Botafogo, bem em frente ao recém inaugurado Estúdio Freezer, de propriedade da banda, e onde os dois discos foram gravados.

Isso faz 20 anos. Ninguém, fora a gente, se lembrou.

Quer dizer, o João Paulo Vicente lembrou e fez um texto belíssimo, contando estórias incríveis daquele tempo, como a faixa multimídia da Pelvs que nunca existiu, as investidas noturnas escondidas do Colares para remixar o disco e a ida do Cigarettes para Europa que quase aconteceu. Leia a íntegra aqui.

Os dois álbuns estão no Spotify.

E nós vamos celebrar ano que vem, quando eles completarem 21 anos. #diferentao

Postado 18/12/2017 às 19:36

Novo single do Fish Magic sai com vídeo da artista gráfica Astronauta Mecanico

“Neon Love”, o novo single do Fish Magic, está sendo lançado no dia 24 de novembro em todas as plataformas digitais. Após dois discos, “Songs from the nightshift” (2015) e “Sky High” (2016), o Fish Magic, projeto do ex-Dead Poets Mário Quinderé, prepara um terceiro álbum para 2018. “Esse é uma espécie de single de transição. É uma ponte entre o disco anterior e o que deve vir no ano que vem”, avisa Mário.

Mais eletrônico e com menos guitarras, “Neon Love” aponta um caminho levemente diferente no som do Fish Magic. “É uma espécie de soul eletrônico, seja lá o que isso significa”, brinca. O single vem acompanhado de um videoclipe assinado pela artista gráfica, VJ e videocenarista Veruscka Girio, mais conhecida pelo seu codinome Astronauta Mecanico (assim mesmo, sem acento em mecânico) A música tem esse beat e achei que o trabalho da Veruscka tinha tudo a ver. Sabia que ela conseguiria fazer uma espécie de vídeo arte sensorial com ela. Não é um videoclipe padrão. É a visão dela e achei incrível”.

“Neon Love” será lançada em formato digital em todas as plataformas (bandcamp do selo e do artista, iTunes, Apple Music, Spotify e Deezer) além de estar disponível na página do Fish Magic aqui no mmrecords.

Postado 23/11/2017 às 20:09

The Baudelaires lança terceiro disco

“Looking for the Big Star” é o terceiro álbum do The Baudelaires, com 11 faixas, com autoria dividida pela primeira vez por toda a banda. Dessa vez, o baterista Bruno Oliveira e o baixista Marcelo Damaso assinam 4 das 10 composições do disco.

As outras ficaram a cargo da dupla Andro Baudelaire e Marcelo Kahwage, responsáveis por todas as composições dos álbuns anteriores. Depois de uma temporada morando nos Estados Unidos, Andro retornou com uma penca de canções na mala e a experiência em produzir.

“Looking for the Big Star” é totalmente gravado e produzido por Andro e conta com a mixagem e masterização do goiano Gustavo Vasques. O disco é um lançamento do midsummer madness em parceria com o selo paraense Tempter.

A banda toca dia 15/11 no Café com Arte, em Belém, dentro da programação do Festival Se Rasgum

Postado 15/11/2017 às 10:29

Loomer e a deserção pelo barulho

(por Filipe Albuquerque)

loomer_deserter_web

Em entrevista a Simon Reynolds no extinto semanário inglês Melody Maker no início dos anos 90, Robert Hampson, líder, guitarra e voz do grupo inglês Loop, dizia que a vontade dele era produzir uma música incômoda, que atingisse o ouvinte nas entranhas. E que, se fosse possível, adoraria trancar o público em uma sala e submetê-lo à hipnose das suas guitarras por horas, só pra observar o que a experiência provocaria.

Os gaúchos do Loomer não demonstram vocação pro sadismo. Pelo menos até agora. Mas a música que fazem desde 2008 é do tipo que te obriga a prestar atenção, ainda que de forma involuntária. Porque incomoda quem não se dispõe a ouvir guitarras no último volume, e arrebata quem passa os dias com os ouvidos em chamas metidos dentro de alto-falantes, sedento por microfonia. Em vez de desejar trancar uma multidão em uma sala e torturá-la com ruído no último volume, como propôs Hampson, a Loomer sopra no ouvido “hey, senta, que agora você vai me ouvir“.

“Deserter” é o segundo álbum dos gaúchos – sucede “You Woudn’t Anyway” (2013) -  quarto registro contando os eps “Mind Drops” (2009) e “Coward Soul”(2010). Todos lançados pela parceria independente Sinewave e Midsummer Madness, forjadas no do it yourself punk. Todos ardidos, de guitarras abrasivas, clima de festa adolescente dos anos 90, daquelas que poucas coisas sobrevivem.

Não te assusta, tá meio podreira“, disse Guilherme Figueiredo, o baterista, ao falar do disco, gravado nos estúdios Dissenso (SP) e Dub (RS), com produção, mixagem e masterização assinada pelo guitarra e voz, Stefano Fell. O que me fez lembrar de Jim Reid, na extinta revista Bizz, ainda nos anos 80, ao falar do irmão mais velho, William. “Ele sabe como usar a guitarra da maneira errada”. A Loomer também sabe. E isso é um baita elogio.

É o que os heróis da Loomer fazem de melhor – My Bloody Valentine, Dinosaur Jr, Jesus and Mary Chain, Velvet Underground e similares – destroem a imagem criada em volta do instrumento para reconstrui-lo com outras possibilidades, outros sons, outras pulsações.

(Continue lendo – aqui)

Ouça, baixe, compre “Deserter” aqui
Spotify – aqui

Postado 27/10/2017 às 0:01

Astronauta baixa em novo clipe do Motormama

A música “Não Sou Mais o Mesmo Sujeito”, da Motormama, acaba de ganhar um inusitado videoclipe:

A música faz faz parte do quarto e mais novo álbum do Motormama intitulado “Fogos de Artifício”, lançado no começo de 2017. No clipe, o major Tom ‘Pig’ Gagarin, cosmonauta sul-americano, volta a sua cidade natal para uma noite de diversão e baixa num show da Motormama. A direção é de F.L. Piton, com roteiro do guitarrista e vocalista Régis Martins, e o clipe foi rodado no Espaço A Coisa, em Ribeirão Preto, cidade da Motormama.

Postado 12/10/2017 às 9:45

Lautmusik e Lava Divers em shows por SP

laut_capote

Lautmusik, Firefriend e Early Morning Sky – 07/outubro
21h
Espaço Capote  (Guarulhos / SP)
mais

laut_breve

Lautmusik e Firefriend – 08/outubro
20h
Breve (SP)
mais

 

lava_breve

 

Lava Divers e The Hexx – 11/outubro
19h
Breve (SP)
mais

Postado 03/10/2017 às 15:39

Todas as músicas inéditas da compilação “Come On Feel the NoiZe – BraZil Class” do TBTCI

Em junho, o The Blog That Celebrates Itself, lançou a coletânea “Come On Feel the Noize – Brazil Class’17” com 24 músicas inéditas de bandas brasileiras. Entre as 24, mais de um terço (nove) têm parceria com o midsummer madness.

Resolvemos agrupar as músicas e contar um pouquinho mais sobre cada uma delas:

jnktr_promo_2017_04

Justine Never Knew The Rules – Just Like Yesterday (Hold On)
Essa é uma versão para a música de mesmo nome do álbum “Overseas”. Foi gravada, mixada e masterizada no Back Studio da própria banda em Sorocaba. A ideia foi fazer um contraste com a versão original que é predominantemente acústica, nos moldes “Stoned and Dethroned” (do Jesus & Mary Chain). Essa versão é mais densa e pesada, com um guitarra que acompanha o violão e aumenta gradativamente. Na original quem canta é o Maurício mas na versão é o Bruno Fontes.

Essa versão é exclusiva da coletânea do TBTCI e deve estar num EP que a banda pretende lançar ainda em 2017 com músicas novas e extras.

Churrus-(80)

Churrus – Broken Pen
A música é de 2014, gravada no Miss Ladybug Studio em São João del-Rei, TBP Studio e Mix Studio em Belo Horizonte, mixada e masterizada por Gabriel Zander no Estúdio Costella em São Paulo em Junho de 2017. Segundo a banda, “a letra fala das agruras de não conseguir registrar suas melodias e ideias, que se perdem com o tempo e nunca serão ouvidas por ninguém“.

Essa música está sendo lançada como single hoje. O Churrus continua lapidando o seu 4º álbum de estúdio, a ser lançado em data indefinida pela Fleeting Media.

Foto por Marko Panayotis

Second Come – It’s Time to Get Lost
Composta no final de 2015, “It´s Time to Get Lost” nasceu de um riff do Fernando Kamache transformado em base, numa levada acelerada; a letra é do baixista Francisco Kraus. Gravada e mixada no SuperStudio do Nervoso, que, segundo a banda, foi importantíssimo na gravação das baterias. Segundo o baixista, “a música fala, num tom mezzo otimista, das possibilidades da vida; do ponto de vista de alguém que precisa ´cortar as amarras e navegar pra longe de tudo que não vale a pena’“.

O Second Come pretende lançar ainda este ano um EP com quatro músicas inéditas, “It’s Time to Get Lost” é uma delas.

foto dead suns facebook

The Dead Suns – Cracked Soil
Formada em 2012 por Yuri Pinta (Beally), Renato Fernandes, Maurício Garcia Mauk (Bigtrep, Mauk e os Cadillacs Malditos, Estranhos Românticos e Second Come) e Francisco Kraus (Second Come e ex-Jess Saes), o Dead Suns voltou à ativa com shows e gravações. Essa música fará parte do primeiro álbum que a banda está finalizando ainda para 2017.

Foto Loomer - 04 (médio)FotoLoomer04web

Loomer - I Have to Stay
Outra das 10 músicas novas que farão parte do 2º álbum do Loomer, intitulado “Deserter”, com lançamento previsto para 2017, com parceria da Sinewave. Além de “I Have to Stay”, o Loomer já liberou “Lack” (aqui) e “Mind Control”, esta disponível apenas no vinil “Volume 11“.

lava_divers_goiania_2017

Lava Divers – I Always Wanted to be an Ostrich
Essa música faz parte da primeira leva de canções compostas pela banda, antes mesmo do lançamento do EP. Esta gravação é uma sobra das canções do primeiro disco completo do Lava Divers, lançado em agosto, o “Plush“. Produzida pela própria banda, a faixa foi gravada por Gustavo Vazquez, no estúdio Rocklab, em Goiânia, em outubro de 2016.

cigarettes_clip_17

The Cigarettes – Just About Everything Before
Essa música foi composta entre 2003 e 2004 e gravada em 2008 durante as sessões do 3º álbum intitulado “The Cigarettes” no extinto estúdio BPM, Rio de Janeiro. Segundo Colares “Era pra ser a primeira música daquele disco. Mas na época não gostei e acabei tirando“. Gravaram a música Ricardo Ribeiro “Mito” (Pelvs) na bateria e Marcelo Colares gravou baixo, guitarras e vocal. Já estava no soundcloud do Cigarettes há um tempo.

O Sol Moras, do Enseada Espacial / Stellar fez um vídeo.

pelvs2000

assim era a Pelvs quando gravou esta versão

Pelvs – Legal Tender (B-52′s)
Quando você achava que os quatro volumes da Caixa que a Pelvs lançou em 2013, com todas as gravações extras esgotaria o baú, eis que aparece mais uma música.

Entre 1997 até fins dos anos 2000, Gustavo Seabra e Dodô (que saiu da Pelvs no final dos anos 90) tinham um estúdio no Rio de Janeiro chamado Freezer. A Pelvs ensaiava no local por isso a abundância de faixas extras. Essa versão para o hit do B52´s “Legal Tender”  foi gravado por volta de 2001, 2002, perto do lançamento do 3º álbum da banda, “Peninsula“. A Pelvs nesta gravação era Gustavo Seabra (voz, guitarra e produçã0), Rafael Genu (baixo), Gordinho (guitarra) e Ricardo Mito (bateria).

Atualmente Gustavo tenta terminar seu disco solo intitulado “Velha”, em gravação há quase uma década. A Pelvs não tem planos de um novo disco ou de shows visto que os integrantes moram em cidades diferentes e distantes: Ricardo mora em Brasília, Clínio em Campo Grande (MS) e Genu se mudou recentemente para Milão, na Itália.

pin_ups_obra2

Foto por Luciano Viana

Pin Ups – Some Candy Talking (Jesus & Mary Chain)
Essa música não é totalmente inédita, já havia sido lançada no tributo para o Jesus & Mary Chain do The Blog That Celebrates Itself.  Zé Antônio explica: “Infelizmente não conseguimos conciliar o tempo de todos integrantes então entrou esta versão mesmo. Gravamos em 2016 no estúdio do Rodrigo Brandão, mas é quase uma demo”.

Essa música vai estar na coletânea de extras que o Pin Ups prepara para lançamento digital via midsummer madness.

Ouça toda a coletânea abaixo:

Algumas destas faixas foram distribuídas para streaming como “Come On Feel the NoiZe – BraZil Class’17 – midsummer madness division” com esta capa abaixo.

capa-come-on-feel-mm-web

 

Você encontra músicas nas páginas das bandas:
Second Come / Lava Divers / The Cigarettes / Pelvs 

Postado 07/09/2017 às 11:42