random songs

\ZINE\

Valv dá a receita de como se salvar de uma extinção em massa

Valv dá a receita de como se salvar de uma extinção em massa.
sobre o novo EP “Silurian”, por Glauco Ferreira e Geórgia Cynara

O Valv é uma das poucas bandas brasileiras independentes ativas que contam com mais de vinte anos de existência numa bela e crescente escala evolutiva. Além de sobreviverem e superarem quaisquer riscos de extinção, sucederam tudo e todos e emergem neste miolo de 2020 mais vigorosos do que nunca, com “Silurian”, um EP com três sons novíssimos. Definitivamente o melhor e mais poderoso registro que, o agora quinteto, já fez até então.

Numa escala de tempo sonoro, surge o quarto registro gravado, mixado e masterizado localmente em Belo Horizonte, MG, no estúdio Frango no Bafo. Trabalho de casa, feito a mão por praticamente todos da banda, muito bem pensado e cuidado nos mínimos detalhes. Dá para sentir, do início ao fim, que o coração da banda foi colocado na ponta dos dedos e nos vocais e letras, mais simples, ainda melhores e mais diretas.

Feita a troca de impressões e uma conversa com o anjo da guarda sobre o que ouvimos, “The Signs I Sent” soa juvenil, aguda e muitíssimo brilhante. Lição de simplicidade nas harmonias, riqueza de texturas e densidades com uma preocupação caprichada na dinâmica, o que é sabedoria valiosa para quem já sabe muito bem o que faz. Esse som é como uma respirada profunda, que mistura viagem no tempo e ar renovado!

VALV1_2_2020_web

Em seguida vem “When She Says No”, nascida na grade de acordes do Valv e embalada por uma sensação nostálgica, agrada tanto quem já conhece e curte a banda de outros janeiros passados, tanto quanto aqueles que ainda irão descobrir o som deste mês de junho em diante. A sensação de delírio e simplicidade aparecem de cara no retorno ao território familiar cru e doce dos sons feitos. Serão todos capturados!

Finalmente temos “Elsinore”, alvo de muito interesse e rica em novidades e renovação. Certamente é o som mais desafiador deste pacote sonoro. A bateria surpreendente, o vocal vai no limite, o fraseado do baixo que sai da função fundo da cozinha. Tudo acompanhado por guitarras eficientes, econômicas e muitíssimo generosas – entram e saem no momento certíssimo – que autorizam o refrão a cair num blocão poderoso e na maior medida que a banda sabe muito bem como fazer. A odisseia que vem depois é um crescendo minimalista absoluto… e infinito.

Se a paciência aprimora a existência, o tempo tudo transforma. “Silurian” marca os primeiros sons conhecidos, já totalmente adaptados às novas condições dos sons que acabaram de nascer.

Vida longa ao Valv.

Glauco Ferreira é amigo, músico, e fez parte de bandas da cena belorizontina, como Constantina, Automatic High Speed e Rallye

Ouça na página da banda
Ouça, baixe e compre no Bandcamp
Spotify
Deezer
Apple Music

Confira os teasers em vídeo feitos por amigos da banda no IGTV do midsummer madness

Postado 26/06/2020 às 6:38