random songs

\BANDAS\

Porque este océano es el tuyo, es el mío

Porque este oceáno es el tuyo, es el mío é o primeiro lançamento do selo Si No Puedo Bailar, No es mi revolución, sediado em SP e RJ, coordenado por Fernando Paiva (guitarrista da banda Luisa Mandou um Beijo) e Rodrigo Maceira. Focado em cultura alternativa latino-americana, o selo Si No Puedo… tem esta coletânea em CD com 17 bandas da América Latina como primeiro lançamento. O midsummer madness funciona como parceiro orgulhoso neste lançamento.

A coletânea traz as seguintes músicas / bandas:
Porque este océano es el tuyo, es el mío – VA
Faramalla – El sueño de la casa propia (Chile)
Casan – Javiera Mena (Chile)
Anselmo – Luisa mandou um beijo (Brasil)
Adiós – Amelia (Uruguai)
Mi amigo reno – Lissa (México)
Modelh – RadioGrad (Colômbia)
Namás – Gepe (Chile)
Navidad en los santos – El mato a un policia motorizado (Argentina)
Personal – Ondo (Argentina)
Encapsulados – Modular (Argentina)
Naufrágio – Filme (Brasil)
Qué mala suerte! – Coiffeur (Argentina)
Despertar – Hacia dos veranos (Argentina)
Oeste – Resplandor (Peru)
Pouco importa – Apanhador só (Brasil)
Deja de hablar – Telegrama (Venezuela)
O rei não sabe brincar – Bazar Pamplona (Brasil)

Algumas músicas desta coletânea você pode ouvir e baixar ao lado. Compre o CD (com capinha digipack) na LOJA.
PT:
Si no puedo bailar, no es mi revolución é um selo/coletivo plural centrado em experiências da cultura independente latino-americana. Fundamentalmente dedicado à música, o projeto, sediado no Rio e em São Paulo, tem planos de avançar sobre o território da literatura, das artes plásticas, do cinema e do desenho gráfico produzidos no continente. Apesar de se tratar de uma iniciativa de integração da arte marginal da América Latina, contamos com valiosas colaborações de pessoas na Espanha e na Alemanha. Nossa revolução não terá fronteiras.


 

ESP:

resplandor nova

Si no puedo bailar, no es mi revolución es un sello/colectivo plural centrado en experiencias de la cultura independiente latinoamericana. Fundamentalmente dedicado a la música, el proyecto, ubicado en las ciudades de Río y São Paulo, tiene planes de extenderse a los territorios de la literatura, de las bellas artes, del cine y del diseño gráfico producidos en el continente. El hecho de que sea una propuesta de integración del arte marginal de Latinoamérica no nos impide de tener preciosas colaboraciones de gente en España o Alemania, por ejemplo. Nuestra revolución no tendrá fronteras.

Pronto sacaremos nuestro primer disco, intitulado Porque este océano es el tuyo, es el mío, verso de uno de los más bonitos poemas de Pablo Neruda. El compilado reúne artistas de Argentina, Brasil, Chile, Colombia, México, Perú, Uruguay y Venezuela, y contiene temas que viajan del indie-rock al folktronic. Están con nosotros El sueño de la casa propia, Javiera Mena, Amelia, Luisa mandou um beijo, Lissa, RadioGrad, Gepe, Resplandor (foto), El mato a un policia motorizado, Ondo, Modular, Coiffeur, Filme, Hacia dos veranos, Apanhador só, Bazar Pamplona y Telegrama. Gracias por tu tiempo!

 


EN:

Modular_(grupo)_-_pop_psicodélico
Si no puedo bailar, no es mi revolución
is a Brazilian plural collective/label focused on latin independent cultural experiences. Essentially dedicated to music, the project, based in Rio and São Paulo, aims to spread its presence over the literature, the fine arts, the cinema and the graphic design made in the continent. In spite of being an initiative for Latin America marginal art integration, we have precious collaboration from people in Spain and Germany, for example. Our revolution won’t have frontiers.

We’ll soon put out a compilation – Porque este océano es el tuyo, es el mío – with independent artists from Argentina, Brazil, Chile, Colombia, Mexico, Peru, Uruguay and Venezuela – a trip that ranges from indie-rock to folktronic tunes. Our friends are El sueño de la casa propia, Javiera Mena, Amelia, Luisa mandou um beijo, Lissa, RadioGrad, Gepe, Resplandor, El mato a un policia motorizado, Ondo, Modular (foto), Coiffeur, Filme, Hacia dos veranos, Apanhador só, Bazar Pamplona and Telegrama. Thanks for your attention!


 

O que saiu na imprensa a respeito / Prensa / Press:
Indie MP3 (website)
http://www.indie-mp3.co.uk/2007/10/latin-indie-pop-porque-este-oceano-es.html

O Globo
Leornardo Lichote deu 4 (num total de 5) estrelas para a coletânea: “a coletânea (…) traça um bom painel do rock latino marginal, Brasil incluído. (…) o CD pode ser classificado como indie rock, mas o termo vago não esgota seus diversos e curiosos sotaques”. Em 21/08/07

El Comercio – Peru:
Latinoamérica indie
Trazar una suerte de mapa del momento actual del ‘indie’ latinoamericano parece ser el objetivo de este recopilatorio, y hay que decir que el resultado es inobjetable, especialmente por el olfato de sus productores para seleccionar a los artistas: desde Javiera Mena y Gepe, lo mejor que le ha entregado Chile al mundo (musical) en lustros, hasta los peruanos de Resplandor, los brasileños de Luisa Mandou um Beijo y los argentinos de Él Mató a un Policía Motorizado (la banda es tan buena como su nombre), este disco está repleto de buenas ideas, cálidas armonías y una recalcitrante independencia. Indie pop, electrónica de dormitorio, ‘shoegazing’, hay un poco de todo aquí. Anímense a descubrirlo. Em 03/setembro/2007

INDIE PAGES:
América do Sul tem uma antiga e decente cena indiepop, mesmo que algumas bandas (como Postal Blue e Pale Sunday) nunca tenham recebido muita atenção por aqui. Bem, para qualquer um interessado em ouvir o que anda acontecendo lá embaixo, esta coletânea de 1 hora de músicas de todo continente (além de uma do México) é um ótimo começo. A maioria das bandas é nova para mim, exceto por algumas canções que eu acho que já ouvi em algum lugar, incluindo a melhor música do ep de 2004 do Hacia Dos Veranos e ainda outra música do álbum da excelente Luisa Mandou Um Beijo, (de quem eu adoraria ouvir novidades). Outros favoritos são a deliciosa
jangly Amelia e Apanhador Só, a etérea Lissa e a crooning Coiffeur. Não somente indiepop, este disco também tem algumas faixas eletrônicas, a maioria delas eu não gostei muito, a não ser pela poppy song do Ondo e parte da faixa jazzística do Filme. Claro, todas estas músicas são cantadas em espanhol e português, mas a barreira da língua não deve importar para os verdadeiros fãs do pop!
por Chris Mac – Indie Pages.