random songs

\BANDAS\

Pedro P78

pp-extrato-foto-luisa-2009

Início dos anos 2000, o Mundo não tinha dado tilt com o bug do milênio.

Pedro Paulo tocava guitarra na Luisa Mandou um Beijo, no Pancake e no Essential Tension além de bateria no Ack. Muita atividade.

Dai, no final de 2003 Pedro Paulo, ou PP, quebrou o pé. O exílio forçado em casa o motivou a gravar suas próprias músicas. O tal Estúdio 202-B onde foram gravadas as 4 músicas deste único EP era na verdade o quarto de PP na casa dos pais. “Foi super produtivo. Consegui gravar, editar, mixar e masterizar sozinho pela primeira vez“.

PP lembra que os ensaios com todas as bandas eram frequentes e divertidos. Só que algumas de suas músicas não se encaixavam em nenhuma das bandas. “Sempre achei que se encaixavam no estilo do midsummer madness. E isso influenciou um pouco a intenção de gravar: a de poder lançar com a midsummer, que é motivo de orgulho para mim“. Ficamos honrados :D

Gravando todos instrumentos sozinho, Pedro também compôs todas as quatro músicas. As duas primeiras, “Canção de Pesca” e “Coco Gelado” tiveram a participação de Rapudo (Raphael Argolo): “Como vocal até hoje não é meu forte,  fiz o convite, ele topou, gravamos e foi ótimo“.

Multiinstrumentista, PP  em 2019 também é professor de trombone na oficina do Bloco da Orquestra voadora. As influências espirram para um leque variado de estilos: carnaval carioca, jazz, samba e choro. “Hoje sou outro músico, quero experimentar formatos: rocks, reggaes, mentos, usando percussão regional, como os originais do samba. Mas com guitarra, baixo, trombone, trompete“.

Na época do lançamento em 2004, o EP, que saiu em CDR e digital (apenas mp3 aqui no site) passou batido: nenhuma matéria ou menção na imprensa. Pedro fez apenas um show como PP78 no festival Algumas Pessoas Tentam te Fuder de 2004.

Com o relançamento do EP em 2019, Pedro quer voltar a gravar: “Trabalhar com cultura no brasil está cada vez mais difícil. Uma lição valiosa que tiro do carnaval de rua do rio é que devemos trabalhar ali, presencialmente. Esse contato de rua sensibiliza o público de forma muito intensa e ampla, tal como aconteceria numa casa de shows, mas sem a infraestrutura e o custo. Isso garante uma mobilidade e possibilidades maiores. Pretendo formatar as novas músicas para apresentacoes assim, basicamente um amplificador, uma gaita e fazendo live pa com trombone“.

Ouça, baixe, compre no Bandcamp

Spotify

Deezer