random songs

\BANDAS\

Mr. Kan

Em São Paulo, a dance music não começou no centro da cidade ou em áreas chiques, mas no lado leste, onde 3 boates chamaram atenção e ganharam reputação. A Toco, a Contra Mão e a Overnight foram contra todas as probabilidades da época. A house mista, o hip hop, o techno, drum n’ bass, disco e funk deram à luz uma subcultura inteira que até agora poucas pessoas conseguem entender.

Dessa área veio um cara que absorveu essas influências e agora está cristalizado como MR. KAN. Influenciado pelo cruzamento da dance music do final dos anos 80, início dos 90, com uma sensação de banda ao vivo.

Para encontrar e descobrir novos ritmos, ecos perturbadores e ruídos espaciais, Mr Kan se mudou para Amsterdan. De volta à São Paulo, tudo está mais equilibrado com aquelas influências paulistanas do final do século passado. “Estou a caminho de lançar um novo álbum crônico, com poucas essências do mundo musical e seus ruídos transcendentais. Alguns sons de dança baleares e traços de percussões e violões brasileiros da Boogie“.

Entre os projetos que Mr Kan está envolvido estão o Hatchets, Cosmic Raptor Sounds e suas produções como Mr Kan (aka Mr Kaahn).

 

Cosmic Raptor Sounds

Sobre a Cosmic Raptor Sounds, Mr Kan devaneia: “Somos caçadores dos sonhos. Dinossauros do além. Encontrando seu caminho cósmico, através dos sons galácticos. Com estrutura e experiência, o velociraptor da música, Mr. Kan, conduz essa odisséia com seus raptores: Mazagão, Nic BPS, GM., ZizuAll e Lucky Vrech”.

A ideia é explorar as barreiras da house music, da música regional, do samba do carnaval. Guitarras psicodélicas misturadas as instrumentos modulares e bongôs. “Te lembra a China, o Japão, o Vietnã. A Europa. Com um balanço brasileiro. Uma mistura das músicas universais”, complementa Mr Kan.

O primeiro single é “Shinning With You”, matreiramente lançado às vésperas do carnaval de 2020, no Brasil, país do samba, direto de São Paulo, cidade do carnaval. Mais especificamente elaborado em Água Rasa, distrito psicodélico.

“Shinning With You”, é o encontro do samba de Jorge com a psicodelia do Floyd, sons místicos do espaço sideral. A marchinha psicodélica espacial, “sambada” por astronautas, é de reestruturar suas perspectivas. Num som que soma percussões ácidas e modulares vintage.

 

The Hatchets

capa-Hatchets-Summer-Jam_web
Rewind
para 2013.

Uma banda aparece no palco do festival Planeta Terra, abrindo a noite para Blur, Travis e Lana Del Rey; e lança um álbum, assim, out of the blue.

Depois disso, foi ladeira abaixo (ou acima, depende sempre do ponto de vista). Novos singles em 2104 pelo selo da festa Gop Tun, alguns vídeos ultra-nice e eles vem parar aqui no midsummer madness. Daquela formação restou apenas o guitarrista Paikan Gonzalez aka Mr Kan. Nessa faixa Mr Kan foi acompanhado por Maria Eduarda (Voz) e Alexandre Molinari (Baixo).

Muito Ibiza pra gente? Talvez, mas quem não curte A Certain Ratio no Mediterrâneo com drinks a base de malte? A versão que saiu na imprensa oficial é:

Os paulistanos do Hatchets retornam com seu novo single via midsummer madness depois de aclamados remixes de artistas como Prins Thomas, Sinkane e outros bastiões do eletrônico mundial. “Summer Jam” é um sopro, com instrumentos acústicos lado a lado com a mais analógica eletrônica e o toque único de um sussurrado vocal feminino.

Forward para 2019.
Hatchets migra do sintético baleárico para o orgânico screamapsicodélico com “Summer Jam”:

E fechando 2019, mais uma faixa do Hatchets: “Os jeitos de lutar são muitos, variam entre formidáveis, sujos, equilibrados e sofisticados. Já nós, preferimos travar nossas batalhas a ‘Bare Knuckle’. Sem luvas, sem frescura, um a um, conquistando pouco a pouco, nocauteando com simplicidade e força“.

“Bare Knuckle”, o nova single traz esse “punch” pineal, descalcificando sua glândula com guitarras cordiais, delays simplificados, baixo acentuado e uma bateria focada.

O single chega também com um clipe que, segundo o Hatchets “explora a visão quadrada da sociedade, o cotidiano de uma capital (São Paulo) turbulenta”. O tom de vermelho é como se fosse num videogame, quando você leva tanta porrada, está cambaleando mas continuar a lutar.