random songs

\BANDAS\

Dois em um

foto por Mayra Lins

Não é de hoje que a música criada no udigrudi da Bahia revela grandes surpresas. Aqui no midsummer madness a surpresa começou em 1993 quando chegou a nossas mãos a primeira demo do Brincando de Deus. Depois disso, volta e meia, os baianos surpreendem: Jupiterscope, Dead Billies, Retrofoguetes… até que algum momento, em 2007, de mansinho, aportou um email do Luisão Pereira (ex Penélope) falando de seu novo projeto. Na época ainda nem tinha um nome.

Luisão já tocou em várias bandas, mas ficou mais conhecido como guitarrista e compositor da Penélope (1996-2004). Luisão e Fernanda se conheceram quando ele ainda morava no Rio de Janeiro. Fernanda toca tanto na música erudita – orquestras sinfônicas e grupos de câmara – quanto na música popular. Ela já fez show e gravou com Kid Abelha, Maria Bethania, Frank Sinatra Jr., Gal Costa, Ópera do Malandro (Chico Buarque), e atualmente toca na OSBA (Orquestra Sinfônica da Bahia).

As coisas no Dois em Um foram acontecendo sem querer. Fernanda, por exemplo, entrou para a banda por acaso: um dia Luisão não estava conseguindo encaixar voz numa melodia quando Fernanda passou cantarolando-a perfeitamente: química. A partir dai, a voz dela emoldura a maioria das músicas. Quando as primeiras faixas ficaram prontas, Luisão montou um MySpace para a banda.

Em pouquíssimo tempo, 13 mil acessos ao site! Em seguida, um convite da gravadora americana Souvenir para lançar um disco no exterior. Luisão credita o nascimento do Dois em Um aos outros: “Foi o retorno das pessoas, principalmente desconhecidas, que fizeram a gente acreditar que a banda existia, ele declarou ao jornal O Globo em junho de 2008, quando a banda tinha poucos meses de cyber-vida.

O CD intitulado Dois em Um foi todo gravado no lar doce lar do casal. Além da óbvia conotação de duas pessoas pessoas em um projeto, Fernanda e Luisão preferem dizer que o nome da banda é para lembrar aqueles aparelhos de som antigos, os 2 em 1. O disco, com 11 músicas, saiu em janeiro de 2009 pelo midsummer madness. Antes, em novembro de 2008, foi relançado somente online o EP ao lado, gravado em 2007, com 4 músicas que também estão no disco.

A maioria das composições é de autoria de Luisão, com participações de Mateus Borba em “Deixa”, “E se chover?”, “Florália” e “Vai que de repente”, e do guitarrista Peu (ex-Dois Sapos e Meio, Pitty) em “Do seu lado”.

Em novembro de 2008, o Dois em Um foi escolhido Revelação e teve sua música “E se chover” votada como melhor música de 2008 no prêmio Bahia de Todos os Rocks: http://www.bahiadetodososrocks.com.br

(foto inicial por Marina Novelli)

O que andam falando por ai
Uma das melhores novidades na música pop brasileira nos últimos meses.
Leonardo Lichote (jornal O Globo)

O baiano Luisão Pereira era guitarrista do Penélope, grupo pop-rock simpático, mas que não estourou. Em seu novo projeto, Dois em Um, ele junta forças com a carioca Fernanda Monteiro, cantora e talentosa violoncelista da Orquestra Sinfônica da Bahia. Apesar do nome sem sal e de músicas ainda a lapidar, a dupla entra em território em que cruzam influências da bossa nova e do pop indie que reverencia a estética dos anos 60. A influência do franco-britânico Stereolab, que navega em praias semelhantes, é marcante em “Dias”.
POR QUE OUVIR: Em faixas como “Mais uma Vez” e “Florália”, o Dois em Um deixa evidente que pode chegar longe, ao misturar peso, psicodelia e certa erudição.

Bruno Saito (Folha de SP em 04/abril-2009)

Canções de amor para hoje.
(…)Amor. É dele que falam as comoventes canções do CD de estréia do Dois em Um – o casal Fernanda Monteiro (Orquestra Sinfônica da Bahia) e Luisão Pereira (ex- Penélope). Um amor romântico, mas sem ilusões: consciente de sua fragilidade. mas sem angústia; que se abre para o melhor, mas sabe que pior (o fim) sempre pode vir. (…)

Clima onírico-portishead atravessa o disco.
Os ecos, as frases do violoncelo, os andamentos lentos, a voz sussurrada de Fernanda – que dança entre Nara Leão e Beth Gibbons – criam um clima onírico que atravessa o CD. Seja na bossa nova (“Deixa”), no samba (“Quem era eu?”, apenas com guitarra e violoncelo), em praias ensolaradas e bacharachianas (“Dias”), em fanfarras (“E se chover?”), no terreno de um Fernando Mendes (“eu sempre avisei”) ou na psicodelia circense (“Florália”).
Leonardo Lichote (Jornal O Globo) (RJ) 20/01/2009.

A estreia do projeto Dois em Um é um álbum caseiro. Mas será equivocado esperar de Luisão Pereira e Fernanda Monteiro um ruidoso, desajeitado registro de garagem. O conforto do lar, para a dupla, traz intimismo e delicadeza. Como uma Nara Leão transtornada pela atmosfera rarefeita do trip hop, a vocalista sussurra frágeis canções de amor. “Se já não há saída, ainda tenho o céu”, canta em Deixa, na brisa de um tango eletrônico. Compositor, guitarrista e faz-tudo, Luisão reveste as melodias com camadas sutis de psicodelia e indie rock, num esforço minimalista que lembra a estreia do Goldfrapp, Felt mountain (2000), e trilhas de cinema. O bom humor de Carbono (“Ele é seu ex, como você se parecia com ele daquela vez”) e o samba geneticamente modificado de Quem era eu? dão fluência de um álbum de minúsculos detalhes, cujos segredos devem ser desvendados lentamente — de preferência numa manhã de inverno.
Tiago Faria (Correio Braziliense) 03/04/2009

“A real diversidade baiana, que guarda tesouros inestimáveis e não sobe em trio elétrico, ainda está por ser descoberta. Um desses tesouros ocultos, porém, está pouco a pouco despontando na superfície: é o Dois Em Um.
Mas afinal, qual é o segredo do Dois Em Um, por que sua música encanta tanta gente de tantos lugares diferentes? A resposta pode estar na simplicidade com que o casal cruza as linguagens do pop eletrônico sutil, da bossa-nova e do erudito, criando melodias doces, melancólicas e de uma beleza simplesmente arrebatadora.”

Chico Castro Jr. (Jornal A Tarde)

“Uma banda das mais promissoras de Salvador (Brasil? Mundo?). É isso mesmo. O som deles é algo (in)definido entre a bossa nova, o rock e o eletrônico. Luisão Pereira e Fernanda é o casal responsável por músicas de rara e quase insustentável leveza.”
Lima Trindade (Revista Verbo21)

“Luisão Pereira avança ainda mais ao dividir o EP com a violoncelista carioca Fernanda Monteiro, interprete de três das quatro faixas. Destaque para Dias, com seu delicioso clima easy listening à la Burt Bacharach, e Deixa, neobossa com com jeito de Nara Leão.”
Hagamenon Brito (Correio da Bahia)

“Destaque para “Eu sempre avisei” – uma mistura de Roberto Carlos com Portishead que me faz perder o ar; e para “E se chover?”, cujo arranjo, com direito a metais, xilofone e fanfarra, sem falar da melodia, coloca o Dois e Um no seu momento máximo até agora. Considero a minha melhor descoberta de 2007. E sou grata a eles por isso.
Silvana Malta (Site Overmundo)

“Tras algunos años de pocas novedades en el indie-pop nacional, me encontré, en esa galaxia sin fin llamada myspace, con los extraordinarios Dois Em Um. De un lado, Bahia, Rio de Janeiro, el samba y la bossa nova. Del otro, el mundo, con toques de Múm y Grizzly Bear.”
Rodrigo Maceira (Global-Art)

 


Compre a versão digital do 1º álbum do Dois em Um:
UOL Megastore: http://megastore.uol.com.br/acervo/mpb/d/dois_em_um/dois_em_um
Bandcamp: https://midsummermadness.bandcamp.com/album/dois-em-um