Midsummer Madness


Cigarettes

Depois de 5 anos de ausência, raríssimos shows e muitas gravações, o Cigarettes está de volta. Está, mas na verdade nunca se foi. Desde 2008 que Marcelo Colares vem gravando. Onze canções foram enviadas à Gustavo Seabra, vocalista, guitarrista e compositor da Pelvs, que demorou 2 anos produzindo e masterizando o que é o 3º disco da banda.

Mas alguém ai tem pressa? Veja o que Marcelo Colares falou em entrevista ao Don’t touch my moleskine:
Imagem de Amostra do You Tube

“The Cigarettes”, o terceiro disco, saiu em vinil com tiragem limitada a 250 cópias, com 11 músicas. O vinil tem 180 gramas, foi fabricado na Rep. Tcheca, traz encarte com todas as letras. Além do vinil, uma versão em CD traz as mesmas 11 músicas só que sem a masterização de Gustavo, apenas como foram gravadas, no estúdio BPM em 2008.

Além disso, um EP com tiragem limitada a 50 cópias – “Visions of Mandy” – foi prensado para atender a  algumas das 67 pessoas que ajudaram a bancar o vinil antes da prensagem, através de um crowdfunding que rendeu mais de R$9 mil. Poster com arte de Daniela Hasse e camisa são alguns dos outros mimos que poucos felizardos (e colecionadores) terão por ter ajudado a banda a prensar o vinil.

Além dos fãs, algumas empresas também ajudaram no lançamento:
Locomotiva Discos
Café Elétrico
Coquetel Molotov
RWND
Baratos da Ribeiro

Não existe mais a urgencia de 1994, a pressa de 1997 ou a necessidade de 2004. Antes do disco, um EP com 4 músicas foi lançado: “Happiness, Glory and Calmness”. Estas músicas selecionadas por Colares para dar boas vindas ao novo rebento estarão no terceiro disco mas não nestas versões. As versões deste EP foram produzidas por Marcelo e Zé Felipe no extinto estúdio BPM… Música é atemporal. Mesmo assim, “Pothead” avisa: “somehow i’ve made it this far /…/ it took me so long / took rid of this song / that you listen now” .

E a gente agradece:

************************************************************************

Já se vão mais de 10 anos no passado quando o Cigarettes lançou seu 1º CD, “Bingo”, pelo midsummer madness. Naqueles anos de estabilização do Real (R$), quando a internet era uma novidade para a imensa maioria da população e ainda se vendiam fitas-demo, Cigarettes era um alienígena no mercado independente. Mas mesmo assim, as letras confessionais de Marcelo Colares e o instrumental indie-rock acertaram em cheio um público acostumado a ouvir apenas bandas gringas. E fomos felizes por 2 ou 3 anos enquanto o Cigarettes seguia lutando para fazer shows.

The Cigarettes existe desde 1994 quando Marcelo Colares saiu de sua cidade natal, Itaperuna (no interior do estado do RJ) para estudar na capital. Trouxe na mochila uma fita-cassete intitulada Foolish Things and Blah Blah Blah gravada em casa, com guitarra e bateria eletrônica. No Rio de Janeiro, esta fita caiu na mão de bandas locais que ajudaram Colares a gravar uma nova fita-demo – Felícia – e a dar alguns shows. Nesta fita estava “Lips 2”, aquela do “I really wanna kiss you one more time”. Os shows e as músicas fizeram com que o midsummer madness transformasse as 2 fitas acima em seu 2º lançamento, a mm04 (antes do Cigarettes, sairam 2 coletâneas encartadas nos zines e a demo das Drivellers) e vendesse mais de 300 fitinhas.

Imagem de Amostra do You Tube

Em 1995, Marcelo grava uma segunda fita, Brazils’ Sad Samba, com ajuda de sua banda na época: Wilson Power na bateria e Tito no baixo (hoje ambos são conhecidos DJs da noite carioca). Esta era a fita mm20, com 8 músicas e, que apesar de forte concorrência entre as outras demos já lançadas pelo mm, também se tornou um fulminante best-seller.

Imagem de Amostra do You Tube

Achamos que era hora do primeiro disco. E depois de muita furada, tropeços e noites em claro, Colares chegou com o mmcd01 – Bingo. Fez tudo sozinho, a gente só prensou e distribuiu.

Bingo foi gravado em 1996 no recém montado estúdio Freezer, comandado por Gustavo e Dodô, ambos da Pelvs. Das 16 músicas, 11 são regravações de músicas das fitas e 5 são inéditas. Entre as inéditas estão “Blues” – que conta com a participação do então guitarrista do Stellar e ex-Second Come Fábio Leopoldino; e “Gap” – onde Helena, vocalista do A Lydie, recita um poema em francês. A capa também foi feita por Fábio. O disco recebeu boas críticas e rendeu à banda a participação em festivais no Rio (Expo Alternative), em São Paulo (Screamadelica) e em Salvador (Boombahia).

cigar3.jpg

Em 1999 foi lançada outra fita-cassete (também lançado em CDr) com lados B e sobras de estúdio das 2 fitas anteriores e do Bingo: Ashtray 94-98: lighters, oddities and aluminium. São 18 músicas e trechos de músicas, remixagens e experimentos em português. Este lançamento mm34 também teve distribuição na Argentina pelo selo 72.

Mais ou menos em 2000 ou 2001, Colares largou o trabalho num jornal carioca para poder se dedicar a uma possível turnê européia que, aos 45 minutos do segundo tempo acabou não acontecendo. Sem trabalho, sem grana, sem banda e sem Europa, Colares voltou para Itaperuna. Em suas andanças, gravou demos caseiras em São Paulo que poucas pessoas ouviram, fez clipes que nenhuma TV jamais exibiu, fez uma cameo num filme inspirado em “Alta Fidelidade” e quase não fez shows. Saiu oficialmente do midsummer madness.

De volta a Itaperuna, num estúdio local, começou a gravar novas músicas. O segundo LP intitulado All is Well ficou pronto em 2004, mas é claro, não poderia ser fácil. A capa que deveria ser feita pelo mesmo amigo que fez a capa de Bingo não saiu. A Slag, nova gravadora do Cigarettes, conseguiu prensar o disco apenas no 2º semestre de 2005. E mesmo assim, Colares insiste que tudo está bem.

let the good times roll.


Contato


Discografia

Happiness, Glory and Calmness [2010]

The Cigarettes [2010]

Faixas

Ashtray 94/98 (mm34) [2012]

Faixas

Brazil's Sad Samba (mm20) [1996]

felicia / foolish things and blah blah blah (mm04) [1994]

Faixas


Voce Precisa do Flash Player para visualizar esta página

Podcast