random songs

\BANDAS\

Astromato

foto astromato vermelho

Astromato [astro-máto] veio de Campinas, SP, fazia roque em português desde 1998 e lançou seu primeiro disco, “Melodias de uma estrela falsa” (mmcd05, 1999) pelo midsummer madness. A banda começou mesmo em 1994, época do 1º JUNTATRIBO, festival independente que agitou a UNICAMP e o Brasil durante 3 dias naquele ano. O Weed (primeiro nome do Astromado) era uma típica guitar band brasileira daquela época: derivação dos ídolos, inglês abrasileirado e umas poucas fitas gravadas. Dai Pedro, um dos 3 fundadores (os outros dois são Armando e Fabrício) teve de morar fora do Brasil por 9 meses, voltando em 1998 com, ora veja, várias letras e músicas em português! Num churrasco descobriram que cantar em português mas continuar fazendo roque indie-saxão seria a melhor escolha, fumaram a Weed e fizeram crescer o Astromato.

Não demorou muito para gravarem a primeira fita, intitulada “Astromato” (relançada pelo midsummer madness na série clássicos como mm44) que traz as versões originais para Cadeia Alimentar, No Macio, no gostoso, Canção do Adolescente, Através da Chuva e Só não sabe disso. Todas estas músicas, mais várias outras da segunda fita (de 1999, “Sonhos em Hi-Fi”) foram regravadas no estúdio Piranha (de propriedade do Armando) e estão em “Melodias de Uma Estrela Falsa”. O CD traz 17 músicas e foi todo feito pela banda usando recursos e habilidades já usadas em prol de outras bandas locais. Fabrício (baixo e voz) fez a capa; Armando (guitarra e voz) foi técnico de estúdio e Pedro (guitarra e voz) tirou algumas das fotos que estão no encarte. Melodias… deixa clara a influência de Jesus & Mary Chain quando entra a gravação definitiva de No Macio No Gostoso com sua bateria eletrônica utilizada com uma simplicidade eficiente, define o bom gosto e a leveza das letras na música seguinte, Qualquer outra bobagem: “não quero parar de escrever todas estas bobagens mas talvez não fosse tão ruim se de repente eu começasse a pensar em ganhar dinheiro“, ou como em Eu não sei jogar com “mas eu não jogo futebol, nem baralho eu sei jogar, todo mundo joga e eu só sei olhar, porque eu só bato bola com você!” Canção do Adolescente é a prova de que Ride em seus últimos discos poderia ser o Legião Urbana do começo de carreira, coisa que se repete em Ter uma canção.

astromato-divulgacao-2-web

Sobre o disco:
Pequenos Clássicos Modernos – Miojo Indie revê o único álbum do Astromato e conclui que o disco é nota 10! – “a banda lançou em 2001 Melodias de uma falsa Estrela, um trabalho que pode ser firmado como um dos marcos da música independente brasileira, não apenas por seu direcionamento, mas pelo conjunto de letras e melodias apuradíssimas.” Leia mais aqui 

“Melodias de uma estrela falsa” foi escolhido o 2º melhor disco dos anos 90 numa lista de 50 títulos, pelo site Senhor F.

Entrevista para o blog Scream & Yellleia na íntegra aqui

Músicas como Dias Melhores, Através da Chuva e Sonho de Alta Definição são extensões do melhor do rock britânico do início da década de 90. O que chama mais atenção é a doce e sofisticada harmonia dos vocais dobrados, caso raro no rock nacional. 
[21/maio/ 2001] Carlos Marcelo para o Correio Braziliense

5 nomes que você deve ouvir em 2001… Rubinho Jacobina, Video Hits, Dudu Nobre, Wilson Simonal, ASTROMATO.
[12/ fevereiro / 2001] Pedro Só para a Usina do Som

O grupo representa um outro estágio no rock nacional dos últimos dez anos.
[05/ janeiro / 2001] – Bruno Saito para o ZAP! do jornal O Estado de São Paulo

Isso posto, cabe dizer que a longa duração (72 minutos) é a única crítica que se pode fazer ao ótimo primeiro CD do Astromato, Melodias de uma estrela falsa. O quarteto de Campinas (ex-Weed) debuta no valoroso selo independente Midsummer Madness. (…) Aqui como lá, há peso e ternura em doses iguais, pop poderoso e envolvente, que não ficaria deslocado no FM do carro. (…) Músicas boas o bastante para se ter certeza de que há de haver um segundo disco do Astromato. Questão de mérito e justiça. Porque este CD aqui é uma das melhores estréias dos últimos tempos.
[25 / janeiro / 2001] Arthur Dapieve para o site no.com.br

Um grande salto em relação às chamadas guitar bands nacionais: o Astromato, de Campinas, compõe e canta em português.
[30 / janeiro / 2001] Sílvio Essinger para o site Cliquemusic


Links interessantes que permanecem online:

Astromato executa No Macio, No Gostoso ao vivo na TV Cultura. Aqui
Perfil completo com história, fotos, discografia (incluindo demos), letras e clipping de imprensa compilados pelo amigo Andhye Iore de Maringá (PR). Aqui

Em 2002 o Astromato acabou. Seu último show importante foi em 2001, no Rio de Janeiro, quando abriu a noite para a banda escocesa Mogwai numa edição do festival Algumas Pessoas tentam te fuder. Armando montou o Ártico Blue enquanto Pedro e Fabrício montaram o Captador. Ártico Blue continua na ativa, lançou um EP pelo midsummer madness e outro pelo selo potiguar Musicland. Captador encerrrou suas atividades em algum lugar entre 2005 e 2006. Fabrício já está com músicas novas mas ainda não formou uma nova banda.