random songs

\ZINE - março de 2016\

Cigarettes participa de tributo ao Suicide

suicide1_1218451420_crop_450x285

A seminal banda de synth-pop novaiorquina Suicide ganhou um álbum tributo digital, idealizado e produzido pelo Blog That Celebrates Itself. “Zero Hour – Suicide Revisited” traz 16 versões para músicas de Martin Rev e Alan Vega. O Cigarettes fez sua homenagem à “Dream Baby Dream”  com ajuda de Gustavo Seabra (Pelvs) na bateria eletrônica. A música pode ser ouvida e baixada na página do Cigarettes, e também na página oficial do tributo, onde pode ser comprada na versão digital pelo preço que você escolher.

Postado 30/03/2016 às 13:50

Frabin em turnê, e com trilha sonora

Frabin está em turnê pelo Brasil, divulgando seu álbum de estreia, “Real”. Os shows começaram por São Paulo, passam pelo Rio de Janeiro, Belo Horizonte e assim seguem.

Viajando de carro pelo país, pedimos ao Victor Fabri, vocalista, guitarrista e sex symbol do Frabin para preparar uma listinha do que ele ouviu para compor “Real” e agora cair na estrada. E o resultado foi surpreendente:

Do hip hop underground ao experimentalismo nacional, poucas unanimidades indie, a lista ficou curta mas muito interessante.

Confira Frabin ao vivo nas datas abaixo:
Vitória – 26/03 @Casa Verde
Maceió – 01/04 @Pub Fiction c/ milkshakes
Recife – 02/04 @Baile Perfumado
Campina Grande – 06/04 @extensao vitrola
Natal – 08/04 @Dosol Rock Bar
Fortaleza – 09/04 @Casarão do Benfica
Fortaleza – 11/04 a confirmar
Salvador – 15/04
Camaçari – 16/04

Postado 24/03/2016 às 15:23

Fellini em três lugares não tão diferentes

Fellini confirmou três shows na capital paulista, com a formação original. O quarteto paulistano fundado em 1984 vai se apresentar com Thomas Pappon (guitarra e voz), Cadão Volpato (voz), Jair Marcos (guitarra e voz), Ricardo Salvagni (baixo) e Lauro Lelis (bateria).

O primeiro show acontecerá dia 26 de março, no Z Carniceria em Pinheiros (SP), seguido de um show especial dia 02 de abril no SESC Belenzinho, quando a banda irá tocar o disco “Amor Louco” na íntegra, e o último show dia 07 de abril no Centro Cultural São Paulo.

Fellini28 - b

foto por Eugênio Vieira (formação para show em 2001, com Ricardo, Thomas, Cadão, Silvano Michelino e Jair

Confira abaixo os detalhes de cada show:

26 de março – sexta feira
Fellini no Z Carniceria – Av. Brigadeiro Faria Lima, 724 – Pinheiros – São Paulo/SP
Abertura: Dj Danilo Cabral
Horário: Abertura da casa – 18h / Show – 23h59
Ingresso:
Antecipado R$25,00
Porta R$30,00
Fone: (11) 2936-0934
Cartões de crédito e débito: Visa, Mastercard, Diners, Elo e American Express (não aceitamos cheques).
Chapelaria: R$ 5,00
Serviço de valet/manobrista: R$ 25,00
Capacidade: 250 pessoas em pé e 80 sentadas
Classificação etária: 18 anos

02 de abril – sábado
Fellini toca Amor Louco
SESC Belenzinho – rua padre adelino, 1000 – São Paulo /SP
horário: 21h30
ingressos:
antecipado online – clique aqui
na hora: R$25 (inteira), R$12,50 (meia) e R$7,50 (associados)

07 de abril – quinta feira
Uma Noite com Fellini
CCSP – Rua Vergueiro, 100 – São Paulo / SP

Postado 19/03/2016 às 12:54

Não dá para ficar calado

protesto_stereolab

Aqui no midsummer madness a gente gosta de barulho! De my bloody Valentine e Jesus & Mary Chain. Mas a gente odeia quando nos chamam de aculturados, alienados.

Há 27 anos o midsummer madness pesquisa e produz na cena musical independente brasileira (enfatizando: brasileira!) A gente acha um saco que os artistas, as bandas, você ai que tá lendo isso agora, fiquem de braços cruzados vendo essa palhaçada que a atual oposição, junto com a mídia e uma parte do poder judiciário e legislativo do Brasil estão fazendo com o atual governo. Chegou a hora de se posicionar.

protesto_gilScottHeron

E isso é o que nós achamos:
- desde o resultado da eleição de 2014, com a vitória (apertada) de Dilma, que a oposição vem tentando dar o golpe. Ela manobra no congresso para tornar a situação cada vez pior. Resolveu usar o caminho da legalidade, extrapolando um processo judicial ao usar indícios como provas de culpa, mandando para cadeia sem julgar.

- a grande mídia, leia-se Editora Abril (Veja, Exame), Istoé, Organizações Globo (TV Globo, jornal O Globo, canais Globosat, G1), Bandeirantes (com raríssimas exceções), Rede TV, Folha de SP, Estado de SP – está amplificando de acordo com seus interesses, distorcendo o processo e os fatos e por isso, cumprindo um papel imbecilizante, transformando audiência em massa de manobra

- muitas pessoas estão caindo no golpe. Inclusive nossos amigos e público. A tática da oposição, amplificada pela mídia, de quanto pior melhor, agrava a polarização e o diálogo é cada vez mais pobre.

protesto_public_enemy

Por isso o midsummer madness e alguns de seus amigos e bandas resolveu tomar uma posição. Na posição artistas/músicos, lembrando as melhores influências de MC5, Public Enemy, Stereolab e afins, resolvemos deixar de lado o silêncio. E isso é o que achamos:

- se é para investigar e julgar, que se investigue todos. Em 8 anos de PSDB, tudo foi empurrado para debaixo do tapete: compra de votos para aprovar emenda da reeleição de FHC, mensalão do Aécio em Minas, corrupção pesada no Metrô de SP, auditoria nas privatizações das teles e da Vale, etc, etc, etc. Porque os juízes de Curitiba não ousam cavucar estes pontos?

- para a gente, que trabalha com a mídia, é irritante ver alguns veículos lendo “cartas de repúdio” assinadas em conjunto com Associações de Classe protocolares, dizendo zelar pelo “direito de transmitir ao público a verdade dos fatos e pela imparcialidade da cobertura jornalística”. Não existe, nunca existiu e nunca existirá imparcialidade: estes veículos noticiam o que interessa noticiar. O que não dá para engolir é a hipocrisia de não assumir de qual lado está.

- a situação econômica não é boa, a atual administração federal já admitiu erros. Desde o primeiro mandato Lula, a suavidade das mudanças e a cooptação com setores sombrios da elite nacional deram sinais da centralidade do exercício do governo petista. Seria a hora do atual governo realmente dizer a que veio.

- ninguém aqui foi às ruas no dia 13/março. Mas é ridículo, por exemplo, o Governo do Estado de SP dizer que não vai permitir manifestações de petistas. Isso se chama repressão. Estamos caminhando rapidamente para a Idade das Trevas, ou pior, para algo semelhante à ditadura, só que em versão século XXI

- está tudo armado para um golpe institucional e nós somos CONTRA O GOLPE

protesto_bob_dylan

Bandas, músicos, artistas, gravadoras, produtores, jornalistas, blogueiros: ninguém precisa concordar com o que pensamos. Aliás, não estamos falando em nome de todos os músicos e bandas do midsummer madness porque alguns discordam das opiniões acima. Discordar e conversar com respeito ao outro deveria ser o mais importante neste momento. O que não dá é para ficar calado.

(fizemos uma playlist com a colaboração de alguns que assinam abaixo, para você ouvir enquanto lê e se certificar do que estamos falando)

 

assinado:
Rodrigo Lariú – midsummer madness
Tatiana Lariú – midsummer madness
Alessandra Lariú – She Says
James Cooper – Thompson Punke
Régis Martins – Motormama
Gilberto Custódio – Locomotiva Discos
Fabrício Nobre – Construtora / Festival Bananada
Fábio Oliveira – Snooze
Alexandre Matias – Trabalho Sujo
Jair Marcos – Fellini / 3 Hombres
Luisão Pereira – Dois em Um
Tatiana Guimarães
Rafael Genu – Pelvs
Leonel Mancha – Casa do Mancha
Cris Wolff – Sleepwalkers
Lorena Arouche – Ampslina
Fernando Rosa – Senhor F
Marcelo Damaso – The Baudelaires / Festival Se Rasgum
Dra. Joseti Marques
Raphael Erichsen – Kinorama
Dr. Sandro Rodrigues - Digital Ameríndio
Cassiano Fagundes – C&B, Bad Folks, Vita Balera
Leo Bitar – gravadora e loja Disco ao Leo
Fábio Andrade – Driving Music
Sidney Honigsztejn – Vibrosensores / Nefelibatas
Lois Lancaster – Vibrosensores / Zumbi do Mato
João Paulo Porto – Lava Divers
Gilmar Monte – Primitive Painters
Matheus Lopes – Churrus
Dimitri Rebello – A Última Peça / Diahum
Cesar Zanin – cosmoPOPlitan / O Bosque/Woodland
Rock Bruno e Silveira – O Grito
Werden Tavares Pinheiro
Fernando Paiva – Luisa mandou um beijo e A última peça
Stefano Fell – Loomer
Aloizio Nascimento Neto – Razzmatazz
Cairo Melo – NHL Produções
Gustavo Sumares
Marcello Aguiar Sarmento – A Trip to Forget Someone
Carlos Shen
Eduardo Notvrno
Tiago Trindade
Romanelli- Vita Balera
Ana Paula – Festival Polifonia
Pedro Bonifrate – Supercordas
Márcio Jr. – Mechanics
Tito Figueiredo – DJ
Augusto Malbouisson – Acessórios Essenciais
André Paixão – Nervoso
Kátia Abreu
Mariana Cetra – A Espiral de Bukowski
Aline Matos (Rety) & Kelle Matos – Karen Koltrane Radio

Postado 13/03/2016 às 13:47