random songs

\ZINE - dezembro de 2008\

“Deixa” do Dois em Um ao vivo

Imagem de Amostra do You Tube

Dois em Um ao vivo na Boomerangue, Salvador, Bahia.
28/11/08.
Música: Deixa (Luisão Pereira/Mateus Borba)
Cameras: Alexandre Guena, Marcelo Castilho e Rebeca Gorender.
Edição: Rodrigo Luna

Postado 23/12/2008 às 20:44

Nova vocalista no Amps & Lina

juo.jpg

Em setembro de 2008, a vocalista Luciana deixou o Amps & Lina. Agora, em dezembro de 2008, a banda comunica que está com nova vocalista.

Ju Orange (foto), amiga antiga da banda, figura atuante na cena independente de Pernambuco assume os vocais. Sem perder tempo, Ju e o Amps & Lina já trabalham na produção do novo EP com lançamento previsto para 2009.

Postado

Dois em Um ao vivo. Amps & Lina de voz nova.

Tem vídeo novo do Dois em Um ao vivo tocando “Dias” na página deles. Enquanto isso, em Recife, o Amps & Lina anuncia sua nova vocalista: Ju Orange. Veja mais nas páginas das bandas.

Postado

Verano faz show no SESC Prainha

O Verano toca no SESC Prainha pelas vítimas da chuva em Santa Catarina.O show será no dia 20/12 – sabádo.
Horário: 20hs (o teatro exige pontualidade). Mais detalhes no ZINE.

Postado 19/12/2008 às 13:24

Luisa mandou um beijo no HPP 09

capa-thumb-cd21.jpgEm janeiro de 2009 sai do forno o 2º CD do Luisa mandou um beijo. Para lançar em grande estilo, a banda está confirmada na programação do festival Humaitá pra Peixe 2009. Luisa e Supercordas fazem uma noite especial em comemoração aos 20 anos da gravadora midsummer madness, dia 10 de janeiro, na Sala Baden Powell, no RJ. A programação completa do festival está aqui. Enquanto isso, as 4 músicas novas lançadas no site da banda e aqui no midsummer madness ultrapassaram 1000 downloads em apenas 1 semana!!

Postado 18/12/2008 às 18:48

Cassim agora é Cassim & Barbária.

Cassiano, guitarrista do Bad Folks, lançou em maio de 2008 o EP “Ready” aqui pelo midsummer madness. Só que para fazer shows, Cassim precisou montar uma banda. E o resultado saiu melhor que a encomenda! Cassim juntou Heron, Xuxu e Leonardo – todos ex Pipodélica; mais Zimmer, do Ambervisions – e montou a Barbária. Agora, chamam-se Cassim & Barbária.

Completando a maré de boas novas, Cassim & Barbária foi selecionado para tocar nos festivais South by Southwest (em Austin, Texas, EUA) e no Canadian Music Week (em Toronto, Canadá), ambos em março de 2009. Para aquecer as turbinas, Cassim & Barbária gravaram juntos as primeiras músicas: “Catastrofismo” e “The Orchard”, que o midsummer madness está lançando hoje como single (ver página da banda). Além das músicas, a cambada de ilustres gravou um clipe para “Catastrofismo”, com o sinistro Dr. Zimmer operando Cassim. Veja o clipe dirigido por Cleverson Oliveira, gravado nas areias de Floripa e na clínica Young Soul.
Imagem de Amostra do You Tube
O clipe já está rodando na programação da MTV.

Cassim & Barbária tocam hoje (quinta, 18) no Fort Beer Lounge em Jaraguá do Sul e nesta sexta 19/dez no Wonka em Curitiba.

Postado

Cassim (Cassiano Fagundes)

cassim-1.jpgCassim é o projeto do músico curitibano Cassiano Fagundes, ex-Magog e ex-Bad Folks. Quando ele se junta com figuras como Xuxu, Heron e MLeonardo, todos ex-Pipodélica, e Zimmer, do Ambervisions, o treco passa a se chamar Cassim & Barbária. Comum a todos estes projetos: Cassiano Fagundes.

E é como Cassim que ele lança mais um disco online, “Cavalo de Fogo“. Gravado entre 2009 e 2010 em Florianópolis (SC), “Cavalo de Fogo” marca uma nova fase na carreira de Cassiano: é radicalmente distinto do que ele fez em “Catastrofismo” e do que havia feito no EP “Ready”.  Mais experimental, o disco tem composições que se distanciam da estética folk e se aproximam do experimentalismo e do minimalismo. Batizado de “Subtropicália” pelo jornalista Guga Azevedo, o som de “Cavalo de Fogo” é impregnado por uma atmosfera selvagem e tribal, construída com beats processados, barulho, bordões de vozes em loop e samples da natureza “subtropical”. A grande influência para esse conjunto de músicas foi o lugar onde Cassiano se refugiou na Ilha de Santa Catarina à partir de 2007 – uma casa em um morro na Lagoa da Conceição, cercada de mato, pássaros e, segundo o músico, muitos fantasmas.

“Cavalo de Fogo” está impregnado de imagens apocalípticas, e tem referências à teoria do “Stoned Ape” de Terence McKenna, às crônicas científicas de Bill Bryson, ao corvo de Edgar Allan Poe, e reverência Henry David Thoreau, Tom Zé, Rumi e Krysztof Komeda.Quando há letras, elas são sucintas e sonoras. Praticamente não há guitarras, e a voz processada serve ao mesmo tempo como cozinha e instrumento solista.

Músicas de “Cavalo de Fogo, entre elas, “Subtropicália” e “The Orchard”, tornaram-se no começo de 2011 o pano de fundo do projeto “Catastrofismo – Uma Costura Musical”. O espetáculo/desfile de moda concebido com a estilista curitibana Lisa Simpson e a artista Karen Tortato foi encenado no festival Ruído nas Ruínas, em Curitiba, para duas mil pessoas. (veja o vídeo) Nele, 10 modelos eram vestidas na hora com as peças de Lisa, criadas no palco com uma máquina de costura amplificada que interagia com Cassiano durante as oito músicas que apresentou.

História
Cassim é um marco na trajetória de Cassiano, um sujeito que já fez de tudo: foi guia de caiaque na Bahia, fez a programação musical de uma rádio rock de Curitiba e ainda achou tempo para viajar muito, subir montanhas e principalmente produzir como músico. Nos anos 90, ele fundou o Magog, banda que fez história nos porões brasileiros e cativou o produtor americano Jack Endino, (Nirvana, Mudhoney) – conheça um pouco mais clicando aqui.

Depois de participar da coletânea Alface, produzida por Carlos Eduardo Miranda e lançada pelo selo dos Titãs – Banguela Records – o Magog gravou algumas demos e suspendeu suas atividades por tempo indeterminado. Cassiano se mandou para Nova Iorque, onde compôs compulsivamente.

Depois de viajar bastante e de passar um ano no Nordeste, formou ao lado de Caio Marques o Bad Folks, em Curitiba. Foi o modo perfeito para testar algumas das músicas que compusera durante todos os anos de perambulações solitárias. O Bad Folks lançou um disco, “Impossible”, em 2008.

Antes disso, em 2006, Cassiano decidiu usar algumas composições que ficaram de fora do repertório do Bad Folks e criou uma coleção de músicas, registradas em casa num Macintosh velho. Sua empolgação com estas sessões e a subseqüente resposta positiva na internet fizeram com que criasse o Cassim.

Estas músicas e outras, como “Libertaria” foram reunidas no EP-coletânea “READY”, que registra sua trajetória desde 2006. O EP foi lançado virtualmente pelo midsummer madness em 2008 e você pode escutá-lo ao lado. Com um pé no soul e o outro no barulho, o EP traz canções como “This Place Called Feeling” e “That Old Spell”. “A Minute Ago” é a tropicália levada às latitudes mais frias e sombrias de sua terra natal. E ainda, “Blixa”, uma das músicas do EP, recebeu elogios de Adam Franklin, da banda inglesa Swervedriver e do próprio homenageado na canção – o lendário guitarrista dos Bad Seeds e Einstürzende Neubauten, Blixa Bargeld. O EP também foi bem recebido por blogs especializados do Reino Unido, Estados Unidose Brasil.

Afim de cair na estrada, Cassiano fundou o Cassim & Barbária em Florianópolis (SC) ao lado de remanescentes das bandas independentes locais Pipodélica (Eduardo Xuxu e MLeonardo) e Ambervisions (Guilherme Zimmer). E deu certo: em 2009 a banda fez uma turnê de 45 dias pelos Estados Unidos e Canadá com shows elogiados em festivais como o SXSW (South By Southwest – Texas, EUA) e Canadian Music Week (Toronto, Canadá). Cassim & Barbária também lançou um CD pelo selo norte-americano BNS Sessions (compre na LOJA) e ganhou destaque em algumas publicações independentes especializadas dos dois países, o que o levou a fazer uma segunda turnê no Canadá em 2010 com shows no Pop Montreal (Montreal) e Indie Week (Toronto). O disco foi lançado no Brasil pelo midsummer madness. Também participaram de vários festivais brasileiros como o Goiânia Noise (Goiânia), o Calango (Cuiabá) e o Conexão Vivo (Belo Horizonte). Em 2010, lançaram o DVD “Na Estrada, No Estúdio”, que documenta sua primeira turnê norte-americana (compre na LOJA).

Em 2010, Cassiano também compôs a trilha da aclamada peça “A Vênus das Peles”, baseada na obra de Leopold Sascher-Masosch e montada por Edson Bueno e Pagu Leal em Curitiba. A influência para as composições foram as trilhas para o cinema do polonês Krysztof Komeda – escute clicando aqui.

E as múltiplas personalidades permanecem: Cassim também participou recentemente do disco do músico e produtor japonês Hakaima Sadamitsu ao lado de outros artistas brasileiros; lançou como Cassim & Barbária o álbum “Cassim & Barbária II”, pela Monstro Discos (ouça mais  aqui ) e em 2011, como Cassim participou ao lado do músico e jornalista Fábio Bianchini do tributo ao Second Come, banda seminal indie carioca.

Recentemente, Cassim & Barbária tocou na Argentina, além de ter sido a banda de apoio de Damo Suzuki ex-vocalista de uma das grandes inspirações dos catarinenses: o Can, grupo de rock experimental alemão dos anos 70, além de ter participado de uma jam/workshop em Montreal com outra banda alemã do mesmo período, sempre citada como uma de suas influências: o Faust.

Dora Bakunin

Folha de S. Paulo – 20/6/2008 – Por Thiago Ney
Também no site do selo Midsummer Madness está o “Ready EP”, de Cassim. Cassiano Fagundes é integrante do Bad Folks, excelente banda de folk rock de Curitiba. Em seu novo projeto, Cassim aparece com faixas cheias de barulho e distorções, como “Libertaria”, ou num soul torto (“That Old Spell”). Poucos no Brasil fazem rock tão agudo quanto Cassim e os Bad Folks.

Entrevista no PopUp! em julho 2009:
http://www.popup.mus.br/2009/07/29/cassim-e-barbaria/

Boa matéria no site Mondo Bacanaclique aqui

documentário sobre Cassim ao vivo com Os Faixa-Preta:
Imagem de Amostra do You Tube

Postado 17/12/2008 às 18:52

Domingo tem amigo oculto!

flyer-amigo_oculto_web4001.jpg

Final de ano chegou! E nós aqui da “firma” vamos fazer um amigo oculto domingo dia 14 de dezembro no Cinemathéque, RJ. Vão tocar 5 funcionários-padrão: Beally, DJ6, Lê Almeida, Private Dancers e Luisa mandou um beijo. Vocês todos estão convidados a comparecer. Para participar do amigo oculto, basta levar uma mix-tape. Mais detalhes no ZINE.

Postado 11/12/2008 às 16:20

Luisa Mandou Um Beijo

(Foto por Ana Kemper)

A Luisa mandou um beijo lançou seu terceiro álbum em 2012 pelos selos Multifoco e midsummer madness. Tal como em seus trabalhos anteriores, a banda preferiu não dar um título para o novo disco. Todo financiado pelos próprios fãs, por meio de uma plataforma de crowdfunding, o álbum contém 12 faixas do já conhecido indie-MPB da banda carioca. Antes do lançamento oficial em cd, uma das músicas foi distribuída em primeira mão para sete sites e blogs de música independentes. Trata-se de “Sério, isso é muito”, que conta com a participação especial de Dimitri BR dividindo os vocais com Flávia Muniz.

Neste novo trabalho, a formação da Luisa é:
Cristiano Xavier – bateria
Daniel Paiva – trompete
Fernando Paiva – guitarra
Flávia Muniz – voz e flauta transversa
Paulo Cesar – baixo
Pedro Paulo – guitarra e trombone


A Luisa mandou um beijo lançou seu 2º álbum com 14 faixas inéditas. Adivinhem como ele se chama? Resp.: “Luisa mandou um beijo”.

O novo álbum é composto de músicas dos quatro integrantes da banda: a cantora Flávia Muniz, o guitarrista Fernando Paiva, o guitarrista PP e o baixista PC. Há também uma versão em português para a música I don´t want, so she tried, da banda carioca Pelvs. O cd foi lançado em parceria pelos selos midsummer madness, do Rio de Janeiro, e Volume 1, de São Paulo, repetindo a dupla que deu certo no 1º disco. A capa e o encarte usam imagens de quadros gentilmente cedidas pela consagrada pintora Vânia Mignone.

Este álbum representa a última participação oficial do antigo baterista Luciano Grossman (atual Leela), que deixou a banda após a gravação do CD para morar em São Paulo. A nova formação do grupo é a seguinte: Flávia Muniz (voz), Fernando Paiva (guitarra), PP (guitarra), PC (baixo), Shockbrou (trompete) e Cristiano Xavier (bateria).

A música “Mar sem sal’ ganhou um vídeo dirigido por Julian Campos e Nádia Mangolini, da produtora Dragão Blasè:

História

A Luisa mandou um beijo nasceu em 1999 como um projeto solo do guitarrista e compositor Fernando Paiva. O cd demo lançado em janeiro de 2000 foi todo gravado por ele dentro de casa, em uma mesa de quatro canais. Para cantar, convidou Flávia Muniz, com quem já tinha tocado na banda de MPB Candongas não fazem festa.

A boa repercussão do cd demo fez com que Fernando e Flávia convidassem outros músicos para compor a banda, de forma que ela pudesse se apresentar ao vivo. Assim, em julho de 2000, a Luisa passou a ser um projeto coletivo. A banda é formada até hoje por Flávia Muniz (voz); Fernando Paiva (guitarra); PP (guitarra); PC (guitarra); Shockbrou (trompete). Merece destaque a quantidade de projetos paralelos que os integrantes da Luisa estão envolvidos.

Flávia Muniz lançou um livro em 2008: “Quero ver verdejar” – o livro aborda temas como o respeito, a educação e o ser humano – contado através de uma história em quadrinhos, a obra é inspirada nos valores da Declaração dos Direitos Humanos, que completou 60 anos em dezembro de 2008. Ela também estuda música na Unirio e tem o grupo “Flávia Muniz e os seres humanos incríveis”. São canções de MPB gravadas com voz e violão.

Fernando Paiva é jornalista e escritor. Desde maio de 2003 publica a coluna semana “Máquina de escrever” na Internet. Em 2004, lançou seu primeiro livro, um romance chamado Carta para Ana Camerinda, editado pela Ibis Libris.

PP, ou Pedro Paulo, é arquiteto. Ele lançou um cd solo com o nome de “PedroP78” em 2004, pelo midsummer madness. Foi também guitarrista do Pancake e baterista do ACK.

Shockbrou, ou Daniel Paiva, é quadrinhista e estudou cinema na UFF. Suas HQs foram publicadas na revista “Tarja Preta”. Como cineasta, já tem em seu currículo a direção de um documentário, dois curtas de animação e a co-direção do clipe de Guardanapos do Luisa Mandou Um Beijo. Hoje, toca também no Fanfarra Paradiso, que tem um SMD lançado pelo midsummer madness.

PC, ou Paulo César, é mestre em filosofia pela PUC-Rio.

Após o lançamento do CD, a Luisa Mandou Um Beijo começou uma divulgação via internet no exterior. O blog Indie Mp3 publicou resenha elogiosa sobre o cd, quem escreveu foi o Magnus, um fã da banda na Islândia (!) Em apenas 7 dias houve 225 downloads de Amarelinha, 179 de Anselmo e 177 de Bauhaus Today. Resultado: sairam novas resenhas em outros blogs no Japão , na Inglaterra, Portugal, Espanha, Alemanha, Suécia, Itália e recebemos convite para participar de uma nova coletânea internacional de um selo de Cingapura !!!O mesmo álbum colecionou elogios da crítica e indicações para prêmios. Foi indicado como melhor álbum de indie rock no Prêmio Claro de Música Independente 2005 e como melhor álbum independente no prêmio da revista Laboratório Pop. Foi também apontado como um dos melhores álbuns de 2005 por críticos de diversos veículos, como da Revista Rock Press, dos sites Sobrecarga e Scream & Yell, e do site argentino Velvet Rockmine. No exterior, foi lançado na Inglaterra pelo selo Action Pop e distribuído na Argentina pelo selo Muy Moderna Records.

Durante 2006 e 2007, o Luisa começou a se espalhar por sites de MP3 gratuitos na Europa, com destaque para o alemão TonsPion (onde ocupou posições no top10 por 2 semanas) e no MeinBerlin (também no top10, acima de nomes como Gotan Project e Sigúr Ros). Isso fez com que o Indie MP3 inglês recolocasse as músicas de volta no servidor.

Os contatos europeus renderam à banda alguns remixes: a banda alemã Computer e o DJ Aufa Fikri remixaram músicas do álbum do Luisa Mandou Um Beijo, e o mesmo fizeram 2 produtores brasileiros, o Fujimo e o Nha Tang. Em fevereiro de 2007, o midsummer madness agrupou todos remixes e lançou o ep mm71 – Extras.


 

coletâneas que a banda participa:
não passe álcool” (midsummer madness / 2001) com a música Bauhaus Today (versão demo)”
people are required for…” (plan de sens / Japão / 2003 ) com a música Bauhaus Today (versão demo) – cd a venda na seção loja do nosso site.
“peachy little secrets” (fruit records / cingapura / 2006) com a música Amarelinha
“let it bee”(my honey / itália / 2007) com a música Com um pote de geléia de morango nas mãos.
“Share it, spread it, love it” (uma coletânea composta apenas por bandas licenciadas pelo Creative Commons). Coordenado pelo site de música alternativa Metawelle.
Todas as músicas podem ser baixadas de graça no seguinte endereço: http://metawelle.net/2007/05/15/ssl-vol-1/


Compre as versões digitais também em:
Amazon: clique aqui
eMusic: http://www.emusic.com/album/11067/11067072.html?fref=150042
Radio UOL: clique aqui
UOL Megastore: http://megastore.uol.com.br/acervo/rock/l/luisa_mandou_um_beijo/luisa_mandou_um_beijo_1

 


 

O que se fala deles:
Para o sexteto Luisa Mandou um Beijo, o Rio de Janeiro continua estranhamente lindo. Sem medo de soar feliz, o segundo álbum dos cariocas vê a paisagem do litoral por uma janela colorida da Zona Sul. “Vamos sair para sambar no sábado”, convida a vocalista Flávia Muniz, em Na capital. Para aplicar uma fórmula cujos elementos são “amor, Rio de Janeiro, dadaísmo e rock alternativo”, a banda transita do samba ao reggae, com versos oníricos em tom pastel (quando não simplesmente ingênuos) sobre pensamentos solares, “cosquinhas” matutinas, mar de águas rasas, borboleta imperial e salada com pitada de verdade. “Quando chegar o carnaval, eu me visto de você”, promete a marchinha A odalisca e o pirata. Os ecos de Los Hermanos e as guitarras de Fernando Paiva reforçam a ligação da banda com a cena roqueira da cidade. Mas, longe do decalque fácil, eles saem para uma aventura que abraça até influência de música indígena (O maracá). Generosos e sem tempo a perder. (Tiago Faria / Correio Braziliense / 06/04/09)

A boa impressão do álbum anterior é confirmada no atual, cujo repertório é formado por 14 inéditas da lavra dos músicos, com destaque para Borboleta Imperial. O suingue da guitarra de Fernando Paiva, líder e mentor da banda, sobressai em faixas como o rock Cosquinhas de Manhã (S.M.). Já temas como Mar Bravio destacam o trompete de Daniel Paiva, o Shockbrou. Aliás, os arranjos de metais que adornam músicas como Na Capital remete às produções de Kassin e Cia. É difícil também não conectar Luisa Mandou um Beijo ao quarteto Los Hermanos, especialmente na carnavalesca A Odalisca e o Pirata, que evoca o clima do já clássico álbum Bloco do Eu Sozinho (2001). Mas a folia de Luisa é mais romântica do que triste. A voz suave de Flávia Muniz tempera todo esse romantismo indie com delicadeza que lembra, por outro lado, as gravações do Pato Fu. Enfim, entre referências, o CD deixa a certeza de que o pop rock indie da banda tem sua originalidade e merece ser caçado na rede. (Mauro Ferreira – O Dia / abril/2009)

“This is indie pop at the top of its game. It features wonderful vocals provided by female vocalist Flávia Muniz complete with a horn section that makes most, if not all of these songs infectious listening. This is one enjoyable album. Dont worry about the band singing it their native Portuguese as indie pop as high quality as this surpasses any language constraints.” – INDIE MP3

 

Postado 10/12/2008 às 18:48