random songs

\ZINE - junho de 2008\

Private Dancers: EP e remixes novos

capa_the_form1.jpgLançado no final de junho de 2008, o ep The Form traz duas novas músicas do Private Dancers. As músicas foram gravadas entre abril e maio de 2008 nos estúdios Alameda e Boombox no Rio de Janeiro; mixadas e masterizadas por Pedro Garcia (da banda Rockz).

“The Form” , hit nato, absolutamente top 40 com influências de Pretenders e Blondie, é a música que abre os shows da banda atualmente. Também é a primeira música do Private Dancers com trechos em português. Já “Weekends” saiu como lado B, mas mantém a pegada new wave da banda. Tem um refrão grudento e um final barulhento. Tem que ouvir.
Enquanto isso, “Well Well Girl”, uma das primeiras músicas do Private Dancers tem um remix na coletânea da revista O Grito – clique aqui . O responsável por deixar a canção ainda mais dançante foi Jenner (dj, agitador cultural, lenda do live PA e nosso amigo de longa data). Ele usou as gravações da primeira demo que fizemos em seu estúdio em 2006. Para quem quiser se aventurar, Jenner ainda deixou o kit de arquivos .wav disponíveis para quem quiser arriscar um remix também: http://www.misturinha.com/privatedancersremix/

E o primeiro remix que recebemos foi de ninguém menos que o DJ paulista Alexandre Bezzi. Não deixem de dar sacada na versão Bezzistica da nossa Girl:
http://fiberonline.uol.com.br/bezzi
http://www.myspace.com/djbezzi

Postado 28/06/2008 às 13:05

Shows Amps & Lina em Recife

amps_05.jpgagenda da banda:

06/07 – julia says + electrozion + amps & lina
dj cleiton shelley. quintal do lima, domingo, as 16hs. r$ 5
Recife / PE

13/07 – milla bigio + amps & lina + mellotrons
dj viviane menezes. quintal do lima, domingo, as 16hs. r$ 5
Recife / PE

26/07 – Amps & Lina no festival de garanhuns, palco pop
praça euclides dourado
Garanhuns / PE

27/07 – Amps & Lina – pocket show
na livraria saraiva, domingo as 18hs (shop recife)
Recife / PE

Postado

Serviços dos shows do final de semana

omp-flyer-funhouse-2.jpg

OLD MAGIC PALLAS
20 de junho – R-Evolution @ Funhouse
Rua Bela Cintra, 567 – Consolação, São Paulo – SP
Telefones: (11) 3259-3793 / (11) 8159-8332
www.funhouse.com.br
Mulheres: R$ 10,00 de entrada.
Homens: R$ 15,00 de entrada.
50 primeiros a entrar pagam R$ 5,00 de entrada.
Abertura da casa: 23:00
Show: 1h30

*****

Matriz 8 anos: Semana de Arte Urbana – Shows, grafite, workshops, feijoada e moda alternativa
Casa da Matriz – Rua Henrique de Novaes 107 – Botafogo – RJ
Dia 22 de junho – domingo – das 14h às 21h | Tel: (21) 2266.1014
22h – Sundae Tracks | DJ Melvin Fleming
20h – Fanfarra Paradiso
19h – Fusile (BH)
18h – Os Subterrâneos
17h – Do Amor
16h – Os Outros
15h – VulgoQinho e Oscara
14h – Private Dancers
+ Bazar Noir (30 expositores de moda alternativa) – a partir das 14h
Leilão de Fotos: Registro da Rua com 10 fotógrafos
+ Boteco Salvação
Feijoada a partir das 15h | Roda de Samba às 17h
www.matrizonline.com.br

Postado 20/06/2008 às 12:50

Na Folha de SP hoje

De Sabonetes a Capim Maluco
Folha de S. Paulo
– 20/6/2008 – Por Thiago Ney (…)
De Ribeirão Preto, o Motormama é responsável por “Rua Aurora”, um sólido EP virtual com cinco faixas. “Esperando o Furacão” é rock sessentista, com uma bateria sossegada dando o tom; “Rua Aurora” tem clima meio Mutantes; a guitarra toma conta de “Não Será um Bom Dia”; e um teclado psicodélico inicia “Preciso me Vingar Oh Babe”, que depois ganha uma melodia britpop -mas, acredite, soa bem atual. Para ouvir, vá no http://mmrecords.com.br.
Também no site do selo Midsummer Madness está o “Ready EP”, de Cassim. Cassiano Fagundes é integrante do Bad Folks, excelente banda de folk rock de Curitiba. Em seu novo projeto, Cassim aparece com faixas cheias de barulho e distorções, como “Libertaria”, ou num soul torto (“That Old Spell”). Poucos no Brasil fazem rock tão agudo quanto Cassim e os Bad Folks.

Postado

Honeyheads

honeyheads_01_2013

© photo by Matthias Steffen

Desde 1996 os Honeyheads lutam pelo bom gosto e contra as guitarras pesadas, pelas melodias e contra o machismo, pelo entusiasmo e contra o roque. Oriundos de Hamburgo, na Alemanha, já na tenra idade dos dezesseis anos, Henning (voz / guitarra) e Nico (bateria) começaram a cuidar das almas delicadas deste mundo. O soul torto da Postcard Records está gravado profundamente na DNA deles e é inerente ao pop entusiasta dos Honeyheads – como ideologia de ingenuidade.

Desde 2006, a banda existe no seu elenco atual com (refugiada suiça) Martina (voz / guitarra) e Leif (voz / baixo) e finalmente soa como se os membros sempre tivessem estado à espera uns dos outros. A habilidade de se entusiasmar funciona para eles como a única maneira possível de encarar de frente este mundo. Encanto e graça como armas antipatriarcais e deslumbramento como meio político contra a dominância do insignificante arbitrário.

Em março de 2008, saiu o seu primeiro EP “Edwyn Speaks Louder Than Kirk” via Cloudberry Records. Consiste de mixagens diferentes das canções que o midsummer madness lança como EP virtual “Os Abelha Mestra Tapes”.

 

 

“Honeyheads make a beautiful pop noise that should be heard by everyone. To know them is to love them.”
- Phil Wilson (The June Brides)

One perfect early-summer late-afternoon, I find myself shamblefooting home, full of wine; my joyful swagger mimicked by the coastal grass. As the sun disappears behind the embankment, the easterly breeze whips up across the bay and I hear the familiar rustle of gum leaves. I round the bend and feel the sun’s glow again as the tail-wind picks up momentum and carries me up the final hill of my journey — it’s become the perfect early-evening. Then the Honeyheads album ends and I realise I’ve been home the whole time, making soup. And it’s time for a glass of wine!”
- Mark Monnone (The Lucksmiths, Lost And Lonesome Recordings)

“The Honeyheads must be, and I’m sure that I’m making no mistake, the only indiepop band in Germany that captures the spirit of those emblematic late 80s and early 90s. This little genre that we all love also lived it’s heyday during those years in Germany, running parallel to what was happening in the UK. Bands like Die Fünf Freunde, Most Wanted Men or even Throw that Beat in the Garbagecan! defined a scene back then. It’s no wonder that a label that was born during those years, releasing classic releases by the likes of The Legendary Bang or Red Letter Day, put an eye on them and decided to stop hibernation and put their record out. That label is Marsh-Marigold, a staple in indiepop, in Germany and the whole world.

I wonder if they still wear the white and yellow costumes during their gigs. That was a great touch. The superb energy they display, exchanging vocals between the band members, charmed everyone that only time I saw them live, at the Astrastube in Hamburg. Their songs include strong hits like Out of Marseille or the great Akira, and what about their bouncy cover of the Blue Hearts, Linda Linda. Their first single, that I was lucky to release, sold out so fast, even faster than that one of the Pains. So who knows, maybe it’s time for them to stop being a well-kept secret in indiepop circles and the German crowd, I believe it’s time for more people to find out about them!”
- Roque Ruiz (Cloudberry Records, Plastilina Records)

 

Postado

Shows esta semana

Terça, 17 de junho, tem Fanfarra Paradiso na Sala Baden Powell (RJ) e no domingo três bandas do mmrecords – Os Subterrâneos, Private Dancers e Fanfarra Paradiso – tocam de graça na rua comemorando os 8 anos da Casa da Matriz (também no RJ). Saiba detalhes no ZINE.

Postado 16/06/2008 às 20:06

Podcast 15 no ar

Finalmente de volta, o podcast do midsummer madness! A edição nº 15 está no ar, basta clicar no link acima a direita. Nesta edição, Cassim, Motormama, Sweet Fanny Adams, Verano, Breeders e mais um monte de coisas legais. Ouça!

Postado 14/06/2008 às 10:04

Podcast de volta

martinhodavilavascao.jpgDepois de mais de 8 meses parado, o podcast do midsummer madness finalmente está de volta. Poderíamos listar mil motivos pela ausência, mas como ninguém notou a falta do podcast, achamos melhor deixar assim, voltar de mansinho.

A edição de volta, a nº 15, traz algumas das novas contratadas do midsummer madness: Cassim, Verano, Sweet Fanny Adams, Honeyheads e Fanfarra Paradiso, além de música nova do Motormama e outras coisinhas que a gente gosta. O final do podcast é especialmente dedicado a quem quer ouvir música sem o chato do Lariú falando… (além do que o computador-carroça onde o podcast é gravado começou a dar tilt e o jeito foi terminar o podcast sem falação).

A lista de músicas é a seguinte:
Cassim – libertaria (madagascar)
Verano – lune orange
Madeleine Peiroux – dreamland
Honeyheads – from AtoB to See you
Teenagers – homecoming
The Bird & the Bee – again and again
Sweet Fanny Adams – hate song 3
Motormama – rua aurora
Black Kids – i’m not gonna teach your boyfriend how to dance with you
Breeders – bang on
Marcos Valle – os ossos do Barão
Fanfarra Paradiso – operação benjamin
The Smiths – i want the one I can’t have
REM – living well is the best revenge
Patti Smith – because the night
Martinho da Vila – calango vascaína.

Quem adivinhar a frase desta última música que me fez colocar Martinho da Vila no podcast, ganha um CD do midsummer madness de graça!

Postado

pgm 15

Postado