random songs

\ZINE - novembro de 2006\

Luisa Mandando ver na Europa

15-anos-luisa.jpgA recente entrada da Luisa Mandou Um Beijo no topo do Top 100 do site de downloads alemão Tonspion é mais um feito deles na Europa. Assim que o CD “Luisa Mandou um Beijo” foi lançado no início de 2005, o site Indie MP3 escreveu uma matéria que resultou em quase 500 downloads de músicas da banda em apenas 1 semana.

Seguindo o rastro do Indie Mp3, outros ezines da Suécia, Portugal, Japão, Inglaterra, Espanha e Alemanha também deram matérias. A Luisa Mandou Um Beijo é, das bandas do midsummer madness, a que mais saiu em coletâneas mundo afora: “People are required for…” da japonesa Plan de Sens (2003), coletâneas da inglesa Action Pop e da Argentina Muy Moderna, além da recente “Peachy Little Secrets” da Fruit Records de Cingapura.

No site de downloads alemão, a Luisa Mandou um Beijo chegou a ocupar 10º lugar e nesta semana está em 15º no top 100  de downloads. Se você clicar aqui ainda esta semana vai poder conferir.

Postado 29/11/2006 às 10:18

Luisa schickt Dir einen Kuss

esta semana a música “Amarelinha” entrou no TOP 100 de downloads do site Tonspion, um dos mais importantes de música da Alemanha. O Luisa Mandou Um Beijo aparece na frente de Nada Surf, Pavement e outros. Leia mais no zine

Postado

Goiânia Noise com palestras

Não vai ser só música, vai ter falação também.
E o patrão vai palestrar, puxem o saco dele, levem suas demos e cachaça, ele adora.
DEBATES GOIÂNIA NOISE
sexta feira 24/11

11h – ABRAFIN – Coletiva para imprensa e apresentação dos novos filiados
14h – Imprensa músical especializada e música independente
Palestrantes: Rodrigo Lariú e Fernando Rosa,
16h – Abertura e manutenção de casa noturna com espaço para show de música independente. Palestrantes: Claudão Pilha e Anderson Foca.

sábado 25/11
14h – Questões jurídicas para a produção independente
Palestrante: Deborah Sztajnberg
16h – Empreendimento Cultural – as experiências do SEBRAE pelo Brasil
Painel: Décio Coutinho
18h – Recebimento de nova propostas de filiação a ABRAFIN

www.goianianoisefestival.com.br

Postado 21/11/2006 às 20:19

Pelvs lança Anotherspot no RJ e SP

pelvs-friends.jpg

A Pelvs fará 2 shows de lançamento de seu 4º disco Anotherspot. Dia 29 de novembro, quarta feira, no Rio de Janeiro e dia 1º de dezembro, sexta, em São Paulo. Veja os detalhes:
(foto Cadu Pilotto)
Pelvs no RJ
29 de novembro – quarta

Estrela da Lapa – av. mem de sá, 69 – Lapa / RJ
horário: 21h (show começa pontualmente às 22h)
ingressos: $30 – ingresso + cd Anotherspot
$15 somente ingresso
$12 com flyer até 22h
o Estrela da Lapa aceita cartões de crédito e tem serviço de estacionamento. Fica perto do Teatro Odisséia e dos Arcos da Lapa. Stand de CDs do midsummer madness no local com CD da Pelvs a R$20.
www.estreladalapa.com.br


Pelvs e Nervoso e os Calmantes em SP
01º de dezembro – sexta

na festa Tramavirtual no Inferno
Inferno Club – rua augusta, 501 – consolação / SP
horário: 00h
ingresso: $15 ou $12 com nome na lista amiga
DJs.: Tramavirtual, Lariú e Gordinho
Stand de CDs do midsummer madness no local.
www.infernoclub.com.br

Postado 17/11/2006 às 19:00

Tem invasão sueca no Algumas Pessoas… 2006

com várias atrações comfirmadas, a escalação da 9ª edição do ALGUMAS PESSOAS está assim… Este ano serão 4 datas:

11 de dezembro – segunda
local: Maldita / Casa da Matriz / RJ
THE ALBERTO (banda nova do tecladista do Nervoso e os Calmantes, ex SomTomé)
horário: 22h
ingressos: R$16
R$10 até meia noite
DJs: Zé e Gordinho (pista 1) e Lariú (pista 2)

el-perro.jpg14 de dezembro – quinta
local: Teatro Odisséia / RJ
PELVs
EL PERRO DEL MAR
(suécia) (foto)
JENS LEKMAN (suécia) (veja vídeo “you’re the light” aqui)
HELL ON WHEELS (suécia)
abertura: Erlend Oye (suécia) (Kings of Convenience / The Whitest Boy Alive)
horário: 21h
ingressos: R$80 inteira
R$40 promoção para os primeiros 600 pagantes
R$40 meia entrada com carteirinha de estudante, verdadeira ou falsa ou com qualquer pedaço de papel que você achar no chão
R$30 antecipado – a venda a partir de 27/11 em pontos de venda a serem anunciados ou aqui no site do mmrecords.

16 de dezembro – sábado
local: Casarão Cultural dos Arcos / Espaço Hombu (lapa) / RJ
LUISA MANDOU UM BEIJO
THE CIGARETTES

MOTORMAMA (sp)
SUPERCORDAS
LA PUPUÑA (pa)
FOSSIL (ce)
MR. SPACEMAN (ce / sp) (banda do Régis, ex-Velouria e atual Cidadão Instigado)
e outras bandas a confirmar.
horário: 20h
ingressos: R$30 inteira
R$15 promoção para os primeiros 600 pagantes
R$15 meia entrada com carteirinha de estudante, verdadeira ou falsa ou com qualquer pedaço de papel que você achar no chão
neste dia teremos 1 ingresso único que dá direito a ver os shows das 2 casas, que são vizinhas, na Lapa.

17 de dezembro – domingo
local: festa Sundae Tracks / Casa da Matriz
THE CIGARETTES tocando “Bingo” na íntegra.
em 2007 o mmcd01 fará 10 anos de lançamento, para isso, Colares e cia. irão tocar o disco do começo ao fim, sem concessões.
horário: 20h
ingressos: R$10
R$8 até 21h30 ou com flyer da festa.
DJs: Melvin Fleming (pista 1), Zé e Lariú (pista 2)

Postado

Arquivo do zine voltando

karlmarx.jpgAos poucos, o zine do midsummer madness estará com todo seu arquivo de notícias, desde 2000 quando ele surgiu no site, de volta. Por enquanto, entraram no ar os arquivos do blog temporário que existiu enquanto este site estava sendo reformado. Leia mais clicando em zine.

Postado 12/11/2006 às 14:45

the Vikings are coming !!!

jens_lekman.jpg
e a Pitchfork deu primeiro; leia!

Postado 10/11/2006 às 9:43

Anunciada a escalação do Goiânia Noise 2006

12º Goiânia Noise Festival
com stand do midsummer madness vendendo novo pelvs, novo motormama, valv e outras coisas. E vão ter uns debates na véspera, que a produção ainda não divulgou. Em negrito, nossas recomendações.
24/11/2006 – Sexta Feira
snooze.jpg00:15h – Los Hermanos (RJ) – Palco 1
23:00h – Matanza (RJ) – Palco 1
22:00h – MQN (GO) – Palco 1
21:30h – Cascadura (BA) – Palco 2
21:00h – Karine Alexandrino (CE) – Palco 1
20:30h – Snooze (SE) (foto) – Palco 2
20:00h – Tom Bloch (RS) – Palco 1
19:30h – Montage (CE) – Palco 2
19:00h – Trissônicos (GO) – Palco 1
18:40h – Señores (GO) – Palco 2
18:15h – Black Drawing Chalks (GO) – Palco 2


25/11/2006 – Sábado

00:15h – Nação Zumbi (PE) – Palco 1
23:00h – Patrulha do Espaço (SP) – Palco 1
22:00h – Mechanics (GO) – Palco 1
21:30h – Ação Direta (SP) – Palco 2
21:00h – Pata de Elefante (RS) – Palco 1
20:30h – Prot(o) (DF) – Palco 2
20:00h – Los Diaños (PR) – Palco 1
19:30h – Debate (SP) – Palco 2
19:00h – Violins (GO) – Palco 1
18:40h – WC Masculino (GO) – Palco 2
18:15h – Bang Bang Babies (GO) – Palco 2

26/11/2006 – Domingo
00:15h – Ratos de Porão (SP) – Palco 1
23:00h – Mundo Livre S/A (PE) – Palco 1
22:00h – Valentina (GO) – Palco 1
21:30h – Maldita (RJ) – Palco 2
21:00h – Carbona (RJ) – Palco 1
20:30h – Fossil (CE) – Palco 2
20:00h – Crazy Legs (SP) – Palco 1
19:30h – Supergalo (DF) – Palco 2
19:00h – Johnny Suxxx & The Fuckin’ Boys (GO) – Palco 1
18:40h – Mersault e a Máquina de Escrever (GO) – Palco 2
18:15h – Obesos (GO) – Palco 2

Dias: 24, 25 e 26 de novembro
Horário:
a partir das 18 horas
Local: Centro Cultural Oscar Niemeyer (GO-020, próximo ao shopping Flamboyant) Ingressos: R$ 20,00 (meia-entrada) por noite ou R$ 50,00 passaportes para os três dias
Produção:
Monstro Discos
Informações:
(62) 3281-5358 ou www.goianianoisefestival.com.br

Postado 08/11/2006 às 12:52

Estrelas na Rolling Stone

rollingstone-noticia1.jpgA edição nº 1 da revista Rolling Stone Brasil dedicou um box aos lançamentos do midsummer madness, cotando com 4 de um total de 5 estrelas os lançamentos da Pelvs e do Motormama. O texto enfatiza que os pioneiros indies brazucas estão muito bem, e isso nos deixa muito felizes.

Postado 07/11/2006 às 14:56

Cigarettes

The Cigarettes foi formada no Rio de Janeiro em 1994 por Marcelo Colares, guitarrista, vocalista e principal compositor do grupo. Com mais de vinte anos de carreira, quatro discos oficiais e inúmeros registros em fitas k-7 e outros meios, o grupo é referência fundamental para quem quiser entender o Indie Rock brasileiro. O primeiro disco da banda, “Bingo” (1997), lançado pelo midsummer madness, é considerado um clássico e se transformou em objeto de disputa entre colecionadores.

colares_2015_2

foto de Eugênio Vieira

“What is that sound high in the air”,
pergunta-se T.S.Eliot no quinto trecho de seu poema “The Waste Land”.

Nesse que é um dos textos centrais da poesia modernista na língua inglesa, publicado em 1922, o autor perpassa vida, morte, religião, esperança e desespero num caleidoscópio de imagens febris. Não há em “The Waste Land“, o novo álbum da banda fluminense The Cigarettes, o tom épico e avassalador da poesia de Eliot. Ao contrário: trata-se de uma jornada intimista, feita de sussurros e não de brados aos céus. Só que, por vezes, o paralelo entre os versos modernistas e o universo habitado por Marcelo Colares, vocalista e compositor do grupo, se torna irresistível. Quem conhece pode confirmar: vai dizer que o seguinte trecho da “terra arrasada” de Eliot não poderia ser uma letra de Colares?

“My nerves are bad tonight. Yes, bad. Stay with me.
Speak to me. Why do you never speak. Speak.
What are you thinking of? What thinking? What?
I never know what you are thinking. Think.”

“The Waste Land” é o quarto álbum dos Cigarettes. A banda vem trilhando um caminho absolutamente à parte dos sabores momentâneos do mercado, alheia até mesmo às modas da cena indie brazuca, que ajudou a levantar. Mas nos últimos anos, vejam vocês, Colares tem retornado à superfície de forma cada vez mais constante. Desde o último LP (homônimo, lançado apenas em vinil), o grupo tem feito shows e gravações que desembocam agora neste novo trabalho.

É o disco mais delicado e intimista da banda, fundamentado num clima lo-fi que transporta o ouvinte para dentro do quartinho solitário onde Colares compôs, ou deve ter composto, essa nova safra de canções. O eterno embate que sempre caracterizou sua obra – introspecção lírica X musicalidade efusiva – está presente, com a balança pendendo mais para a melancolia. A luminosidade pop do passado foi substituída por uma atmosfera enevoada. Entretanto, em meio às guitarras ora ruidosas, ora caprichosamente melodiosas, entre os frágeis lamentos ora apaixonados, ora desolados, emergem potenciais clássicos.

Assista ao mini-doc dirigido por Eugênio Vieira sobre a gravação do disco:
Imagem de Amostra do You Tube

A trinca de canções de abertura – “Atenas” (esta instrumental), “17 Years” e “Crystalline Rebirth” – mostram que o dom melódico permanece intacto. Na única música cantada em português, “Mantra da Espera” (uma versão para composição original de Laura Wrona) Colares contrapõe um arranjo sombrio ao tom esperançoso da letra (“Quando menos se espera / do inverno mais frio / sempre surge a primavera”).

Como em outros tempos, as femmes fatales surgem para tirar o sono do poeta: em “Plus Belle” ele anseia pela encrenca (“you said you were trouble / I said you are everything I want”), e em “Mandy V2” Colares se encontra perdido na temida friendzone (“Because we work together / but we are not together / and I guess we’ll never be”). No noise desconstruído da faixa-título, possivelmente o momento mais experimental da carreira da banda, o vocalista promete: “And when the world ends / I will meet you somewhere else”. “The Waste Land” pode não ser o “som alto no ar” que intrigava Eliot. Mas não deixa de ser um belo reencontro.

Felizmente, antes do fim do mundo.
(texto por Marco Antonio “Bart” Barbosa)

frame17

Colares e Ugeda em estúdio (foto de Eugênio Vieira)

“The Waste Land” por enquanto disponível apenas no formato digital.
gravado entre 22 e 26 de maio de 2015 no Estúdio Tranco em São Paulo
Produzido por Marcelo Colares e Sergio Ugeda, Engenheiro de som: Sergio Ugeda; Técnico: Leonardo Tomás de Almeida.
Capa por Bárbara Scarambone.
Compre a versão digital do álbum “The Waste Land” em alta resolução (wave, aiff e mp3 de 320 kbps) clicando aqui
Compre a versão digital do álbum “The Waste Land” no iTunes - http://itunes.apple.com/us/album/id1022974632

 

No começo de 2016, Marcelo lançou “Impossible Crush”, um single, gravado em novembro de 2015 no estúdio de Bruna Buzollo em São Paulo, com ajuda de Bruna no baixo, teclados, bateria eletrônica e programações. Gabriel escreveu a respeito:

Imagem de Amostra do You Tube

beto guedes cantava que medo de amar é o medo de ser livre. ele nos lembrava que o amor, essa abstração inefável, desgastada por todas as canções já feitas e todas as que ainda estão por vir, era acima de tudo estar de portas abertas para o sol entrar. amar é estar livre para aquilo que der e vier, com todos os riscos que isso implica. é não sentir o firme do chão sob os pés. perder o controle de si.

a impossible crush é o inesperado que cresce — ou irrompe mesmo — dentro de nós. aquilo que não vemos chegando, mas que atinge com tanta força e que nada mais parece existir.

e a gente se pergunta: what is happening to me? what is just everything that connects you to me?

não se sabe dizer. e na verdade nem interessa. lá fora o mundo segue explodindo em seu fim. nós, existimos. apesar de todas as pequenas impossibilidades, as coisas são entre Nós.
no one is a lover alone.

Para A.C.
GGabriel Albuquerque


 O que andam escrevendo sobre “The Waste Land”:

Em “The Waste Land”, O Cigarettes envolve tudo isso numa atmosfera sonora delicada, sensível e introspectiva. Um ambiente enevoado onde a visão esconde mais do que mostra. Um espaço menor, que faz a música se desdobrar em múltiplas percepções e sentimentos.
Leia a resenha de Gabriel Albuquerque no Scream & Yell na íntegra.

“Se o ‘mundo indie’ fosse justo, hoje todas essas bandas de guitarra que estão por aí, mais suas assessorias, jornalistas amigos, groupies e agregados deveriam de alguma forma pagar tributo ao Cigarettes. (…) Pode-se dizer que The waste land é menos ruidoso que seus antecessores, mais tranquilo e por vezes melancólico (o ‘pode-se dizer’ vem principalmente devido à preferida da casa “Mandy V2”), mas mantém a sonoridade lo-fi característica da banda e os mesmos vocais preguiçosos à J. Mascis de Marcelo.” Leia na íntegra
Pequenos Clássicos Perdidos

“The Waste Land” explode nas caixas de som com a instrumental “Atenas”. Dali em diante, a maçaroca de guitarras e efeitos estaria garantida com a bela “17 Years”, balada que lembra os arroubos melancólicos de um certo senhor chamado Serge Gainsbourg.
Caderno 3 – Diário do Nordeste

Tanto que a mais interessante das sete novas tocadas é a bonita “Plus Belle”, que, ao vivo ganha um ritmo mais acelerado sem deixar escapar a doçura que lhe caracteriza.
Marcos Bragatto sobre o show de lançamento no Audio Rebel, 24/07/2015 – Rock em Geral.


Compre a versão digital do álbum “The Cigarettes” no ITunes: https://itunes.apple.com/us/album/id550833566
Amazon: clique aqui
Deezer: http://www.deezer.com/album/5330741
eMusic: http://www.emusic.com/listen/#/search/music/The%20Cigarettes%20The%20Cigarettes/:
Rdio: http://rd.io/x/Qj5Z_YM/
Spotify: http://open.spotify.com/album/0Uoumv7uX1PmdUz6STLoyZ


Vídeos:

Postado 02/11/2006 às 17:08